Menina baleada durante assalto em Guaíra segue em estado grave no Hospital Universitário

A menina de quatro anos que foi baleada no início da noite de quarta-feira (6) durante uma tentativa de assalto em Guaíra – oeste do Paraná, segue internada no Hospital Universitário de Cascavel para onde foi levada de Helicóptero devido à gravidade do caso.

A menina sofreu uma perfuração no tórax e segue sendo avaliada pela equipe médica na Ala Pediátrica.

A criança estava com os pais em casa quando três bandidos armados invadiram a residência e tentaram levar uma Fiat Strada, mas o automóvel não pegou e então fugiram.

A Polícia Civil de Guaíra investiga o caso. Até o momento nenhum suspeito foi detido.

O pai da criança também foi atingido por um disparo na mão, mas sem gravidade.

Família pede ajuda para encontrar Eloisa Nunes

Familiares de Eloisa Nunes pedem ajuda para encontrar a adolescente.

Ela saiu de casa na manhã desta quinta-feira (4) em Toledo e não voltou.

Quem tiver qualquer informação sobre a adolescente pode repassar à polícia ou pelo telefone (45) 99935-3486.

Menina confessa ter colocado veneno no café para matar os pais

Aestudante de 12 anos apreendida no último fim de semana por suspeita de tentar matar a família com veneno de rato no café confessou o crime. De acordo com a Polícia Civil de Jarinu, no interior de São Paulo, ela apresentou três versões diferentes do caso. A jovem foi levada para a Fundação Casa.

De acordo com o delegado Victor Oliveira Paulo, o pai da menina, um mecânico de 43 anos, fez a denúncia à polícia. Ele contou que notou um gosto amargo no café e, ao despejá-lo na pia, viu que tinha uma substância pastosa no fundo da garrafa. A esposa dele também chegou a provar a bebida.

O homem foi à polícia, pois acreditava que a casa dele tinha sido invadida por alguém que teria colocado o veneno na garrafa. A mãe lembrou que a filha tinha adoçado o café e perguntou se ela tinha visto algo diferente. Pressionada, a adolescente confessou ter colocado veneno de rato para matar os pais.

“Conversamos por cerca de três horas aqui na delegacia. Só na última versão assumiu que a intenção era matar os pais e a irmã mais nova porque não gostava da família, tinha ciúme da irmã, e iria supostamente morar com uma amiga da escola”, contou o delegado.

A menina disse que o veneno foi dado por uma amiga da escola. Em depoimento, a outra estudante confessou que deu o veneno à amiga, mas não sabia que ele seria usado para tentar matar alguém.

A garrafa e as xícaras foram recolhidas para análise. A embalagem do veneno foi achada dentro do lixo.

A estudante revelou ainda ter dado veneno também à irmã de 3 anos em um suco, mas se arrependeu e jogou a bebida fora antes da criança beber.

O pai e a mãe foram levados ao hospital da cidade e passam bem, segundo o ‘G1’.

Os pais chegaram a procurar o Conselho Tutelar cerca de 15 dias antes do incidente. De acordo com oórgão, eles relataram o comportamento excessivamente tímido da menina. A adolescente chegou a ser encaminhada a um psicólogo para tentar identificar um suposto transtorno.

Homem que estuprou e arrancou coração de menina é condenado a 36 anos

juiz Eliseu Silva Leite Fonseca, do Fórum Alfredo Machado, condenou nesta quinta-feira (19, um homem a 36 anos de prisão pelo assassinato de uma menina de 10 em Buenópolis, na região central de Minas Gerais.

O crime aconteceu em junho de 2016 e chocou a população da cidade por causa de detalhes cruéis: Jairo Lopes, de 42 anos, condenou matar e arrancar o coração de Raiane Aparecida Cândida, de 10.

De acordo com o jornal Estado de Minas, Jairo vai cumprir a sentença em regime fechado. Ele já cumre pena no presídio José Martinho Drummond de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e chegou ao julgamento acompanhado por agentes penitenciários.

Relembre o caso

Em junho de 2016, Raiane saiu de casa, na localidade de Siriema, a 30 quilômetros da área urbana de Buenópolis, para pegar um ônibus que a levaria à escola, em Salobro, também na zona rural da cidade. No entanto, a garota não chegou a pegar o transporte, e teve o corpo encontrado na beira de uma estrada dois dias depois.

Em interrogatório, Jairo confessou ter abordado a menina e a levado a um matagal, onde a estuprou e matou. O homem contou que primeiro estrangulou a garota e depois usou uma faca para mutilá-la. O corpo foi encontrado com um corte na altura do estômago e sem coração.

Questionado, o réu disse ter arracando o órgão para se certificar de que o vítima estava morta e evitar uma possível denúncia pelo estupro.

Mãe que jogou recém-nascido do 6º andar é condenada a 2 anos de prisão

Gostaria de fazer parte da nossa rede de amigos? Basta Clicar aqui!Sim, Eu Quero!