Acusado de feminicídio é preso e escoltado após receber alta de hospital

O acusado de matar a jovem Caline Alves Pires de Morais, recebeu alta do Hospital Bom Jesus, em Toledo, Ele foi preso e escoltado para Cascavel, nesta terça-feira (15).

De acordo com a Polícia Civil de Toledo, o homem sofreu um acidente na BR 163, no KM 127, nas proximidades de Quatro Pontes, quando voltava para a cidade de Paloma, no Paraguai, onde estava foragido. Ele teria ido a cidade de Toledo para participar de um evento.

Os policiais temiam um “resgate” por parte de uma facção criminosa da qual o acusado faz parte e então realizaram a escolta no Hospital Bom Jesus. O jovem sofreu ferimentos graves durante o acidente, e após receber a alta, foi encaminhado para a carceragem da 15ªSDP de Cascavel.

O homem é acusado de matar a tiros Caline Alvez Pires de Morais no dia 2 de março de 2018, no Bairro XIV em Cascavel. Ele foi namorado de Caline por quatro anos antes do crime. Também é acusado de esfaquear e matar uma pessoa que tentou separar uma briga entre o jovem e uma ex companheira, em Joinville, Santa Catarina.

Informações CATVE

Mulher é presa após tentar incendiar a casa da mãe em Francisco Alves

Uma mulher de 27 anos foi presa pela Polícia Militar após tentar incendiar a residência da mãe, em Francisco Alves, na tarde desta quarta-feira (9).

Ela foi flagrada com uma garrafa pet que armazenava dois litros de etanol e também portava um isqueiro.

Denúncias anônimas levaram a polícia à avenida João Cortez, no centro. Segundo a moradora, de 69 anos, a filha estava descontrolada, exigia R$ 5 mil e além de ameaçar queimar o imóvel disse que a mataria caso não fosse atendida.

Os policiais militares relataram que a mulher reagiu à abordagem com socos e chutes, prometendo cumprir a ameaça tão logo saia da cadeia. A filha, de dez anos, também foi ameaçada.

Ela foi encaminhada para a delegacia de Iporã e autuada por ameaça e desacato.

(colaboração: Portal do Viola)

Pai e filha de cinco anos morrem após acidente na BR 277

Duas pessoas morreram após grave acidente na tarde do último sábado (22) próximo ao posto de pedágio da BR 277, em Candói.

De acordo com a PRF, pai e filha seguiam sentido Guarapuava/Cascavel em um Fiat Uno, quando, ao realizar uma ultrapassagem, colidiram no rodado traseiro do caminhão e na sequência bateram frontalmente com um EcoSport que seguia no sentido contrário.

Juliano dos Santos, de 25 anos e a filha Amanda Vitória Costa dos Santos de cinco anos, tiveram ferimentos gravíssimos e foram encaminhados a hospitais de Guarapuava. Dois passageiros da EcoSport também foram encaminhados a hospitais da região. Outras duas pessoas tiveram ferimentos leves. Já o motorista do caminhão de 28 anos saiu ileso.

Na manhã deste domingo (23), Juliano e Amanda faleceram. Segundo informações, pai e filha eram de Lindoeste.

Corpo de jovem é encontrado no Rio Paraná

No final da manhã desta quinta-feira, 20, equipe de busca do Corpo de Bombeiros de Foz do Iguaçu localizou o cadáver de um jovem que havia se afogado no final da tarde da última terça-feira (18), quando se banhava as margens do Rio Paraná.

O corpo foi levado até o um porto, onde foi periciado pela perita da Policia Cientifica (Criminalística), Policia Civil (Delegacia de Homicídios), e constatado que não havia sinais de violência, sendo o corpo recolhido ao Instituto Médico Legal para procedimento de necropsia, identificação e liberação.

Homem mata duas mulheres e depois atira na própria cabeça

Um homem matou duas mulheres a tiros e depois cometeu suicídio na manhã de quinta-feira (20) em Dionísio Cerqueira, em Santa Catarina (cidade que faz divisa com Barracão, no Paraná, e fronteira com Bernardo de Irigoyen, no Estado de Missiones, na Argentina).

Segundo informações da Polícia Militar, as duas vítimas baleadas morreram ainda no local. O autor dos disparos atirou em si mesmo e foi encaminhado ao Hospital mas não resistiu e morreu.

Não foi divulgado o nome das vítimas e nem o que teria motivado o crime, a Polícia Civil investiga o caso. Os corpos das duas mulheres foram recolhidos pelo IML.

Paraná: Homem assume ter matado filho de apenas 20 dias

Uma reviravolta aconteceu no bárbaro caso ocorrido em Pato Branco na madrugada de quarta-feira (19) quando uma criança de apenas 20 dias foi a óbito após sofrer agressões.

O bebê foi levado pelos pais ao centro de Saúde onde também funciona a base do Samu. A criança foi atendida pelos profissionais que tentaram a reanimação do bebê, mas sem sucesso. A criança apresentava marcas de agressão pelo corpo e a equipe acionou a Polícia Militar.

Após os procedimentos o pai da criança acusou a mãe de ter agredido o bebê, mas após os depoimentos na Polícia Civil, foi confirmado que o pai teria praticado as lesões no filho.

Segundo o delegado chefe da 5ª SDP Getúlio Vargas os laudos do IML apontaram que houve agressão e a criança recém-nascida apresentava fraturas, equimoses na região mandibular, escoriações no abdômen e sinais de traumatismo craniano encefálico.

Os exames confirmaram as agressões e o pai de 34 anos foi preso em flagrante por homicídio contra o próprio filho.

Ainda segundo o delegado, a mãe foi ouvida e liberada, pois num primeiro momento ela teria tentado proteger ele. Uma cunhada e madrinha da criança também prestou depoimento e disse que estranhou a criança estar envolvida em um cobertor na terça-feira. Ela relatou que percebeu as lesões mesmo o pai não deixando tocar no bebê.

Corpo é encontrado enterrado de cabeça para baixo no interior do Paraná (video).

RIC MAIS PR

Uma denúncia anônima levou policiais civis a encontrar um corpo enterrado de cabeça para baixona zona rural de Mandaguaçu, no Norte do Paraná.

Crime macabro no Paraná

ossada estava parcialmente enterrada, apenas com as pernas para fora, à beira de um riacho. De acordo a Polícia Civil, a vítima pode estar envolvida em assaltos a residências nas cidades de Maringá, Sarandi, Jussara e Doutor Camargo.

Ainda segundo a polícia, a vítima seria um foragido da cadeia de Cianorte, no oeste do Paraná, integrante de uma organização criminosa que agia na região.

A morte teria sido motivado por um desacerto entre membros da própria organização criminosa.

Assista à reportagem completa:

Vítima estava com parte do corpo para fora e seria integrante de um grupo que assaltava casas na região.

Suspeito de abusos sexuais, João de Deus passa 1ª noite na prisão em GO

 

  • Giuliana Saringer, do R7*

João de Deus foi acusado de abuso sexual

Walterson Rosa/Folhapress – 12.12.2018

médium João de Deuspassou a primeira noite na cadeia na região metropolitana de Goiânia (GO), de domingo (16) para segunda-feira (17). Suspeito de abusos sexuais durante os atendimentos, João de Deus se entregou para a polícia ontem à tarde, mais de 24 horas após ter sua prisão decretada pela Justiça do Estado.

João de Deus está em uma cela individual e isolado dos demais detentos, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, denominado Núcleo de Custódia.

O tratamento especial foi negociado entre as autoridades e os advogados do médium, que usaram a idade e o estado de saúde de João de Deus como argumentos — o suspeito já passou por um câncer de estômago.

Paralelamente, os advogados Alberto Toron e Ronivan Peixoto Morais Júnior preparam para esta segunda-feira (17) um pedido de habeas corpus, na tentativa de que João de Deus possa cumprir prisão em casa.

Segundo a Polícia Civil, o médium se entregou em uma estrada vicinal, na BR-060, em Abadiânia (GO). João de Deus chegou no Deic (Delegacia de Investigação Criminal), em Goiânia, por volta das 18h de domingo (16).

A força-tarefa do MP-GO (Ministério Público de Goiás), que atua nas investigações do caso, garante que a prisão de João de Deus não vai interromper o trabalho dos promotores. O órgão afirma que vai continuar ouvindo as vítimas para produzir as denúncias a serem oferecidas contra o médium.

O pedido de prisão preventiva foi feito pelo Ministério Público, que já recebeu mais de 300 denúncias de mulheres que teriam sido sexualmente abusadas pelo médium. O processo corre em segredo de Justiça.

Assista abaixo à reportagem do Jornal da Record:

Entendimento da Justiça

O delegado-geral da Polícia Civil de Goiás afirma que João de Deus usava a fépara cometer os abusos contra as vítimas. O médium prestou depoimento por mais de 4 horas e não admitiu o crime. Segundo as autoridades, o médium será intimado novamente e a expectativa é de que mais mulheres tomem coragem de realizar denúncias contra o médium já que ele está em prisão preventiva.

Filha de João de Deus relata abusos que teria sofrido do médium

Por fim, o delegado André Fernandes disse ainda que o líder espiritual estava em “perfeito juízo” durante os questionamentos e que não teve nenhum problema de saúde. “Ele lembra das pessoas, explica o que aconteceu, como foi, ele estava em perfeito juízo”, afirmou.

promotora Maria Gabriela Manssur, responsável pela força-tarefa de São Paulo para ouvir as vítimas do médium, falou com o R7 após a prisão.

“Considero importantíssima [a prisão], uma resposta da Justiça para a sociedade”, diz. “Comprova que ele poderá oferecer risco à ordem pública e também intimidação às vítimas e testemunhas que estão procurando todos os ministérios públicos para fazer as denúncias, muitas delas com muito medo, intimidadas”, completa.

Ainda de acordo com a promotora a prisão serve para mostrar a gravidade das denúncias.“É uma resposta importante para mostrar que, de fato, são graves e estão sendo apurados com a maior garantia das vítimas possível.”

Entenda o caso

João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, está sendo acusado por diversas mulheres de abuso sexual durante os atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, interior de Goiás.

Após as primeiras denúncias contra o médium, o MP-Go (Ministério Público de Goiás) abriu uma força-tarefa, que conta com quatro promotores, seis delegados e duas psicólogas para atenderem o caso.

Na noite de quarta (12), a Promotoria de Justiça de Goiás solicitou a prisão preventiva do médium, cinco dias depois de as primeiras denúncias de abusos sexuais começarem a aparecer.

Em sua primeira aparição pública após as denúncias, na manhã de quarta-feira (12), João de Deus ficou cerca de 10 minutos na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, interior de Goiás. O médium e se disse inocente e declarou ainda que estava à disposição da Justiça.

Até a noite desta quinta-feira (13), a força-tarefa do MP-GO atendeu 330 mulheres.

Outro lado

O advogado criminalista Alberto Toron, que representa João de Deus, se posicionou sobre as acusações de abuso sexual contra o médium em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo. Ele afirmou que o médium “nega e recebe com indignação a existência dessas declarações”.

“O que eu quero esclarecer, que me parece importante que se esclareça ao grande público, é que ele tem um trabalho de mais de 40 anos naquela comunidade, atendendo a todos os brasileiros, atendendo gente de fora do país, sem nunca receber esse tipo de acusação”, disse o advogado.

Ainda segundo Toron, João de Deus vai se apresentar à Justiça nos próximos dias para colaborar no que for necessário.

R7 tenta desde a segunda-feira (10) da semana passada ouvir o advogado, mas ainda não obteve resposta. Um novo contato foi realizado nesta quarta-feira (12), após o pedido de prisão. Uma entrevista com o médium também foi solicitada, também sem posicionamento do acusado.

* Com informações da Agência Brasil e da Agência Estado. 

Foragido, João de Deus deve se entregar à polícia neste domingo

Agência Estado

Foragido da Justiça, João de Deus informou às autoridades que deve se entregar neste domingo (16), em Goiás. A data foi fixada há pouco, em negociação com a defesa.

O médium é suspeito de abusar sexualmente de mulheres que buscavam atendimento espiritual na Casa Dom Inácio de Loyola.

A Polícia Civil suspeita que ele esteja fora de Goiás. Nas negociações realizadas neste sábado (15), uma das hipóteses era de que agentes fossem até o local onde ele está para fazer a prisão e o transporte até Goiás.

Em virtude da idade e da natureza do crime de que é acusado, a expectativa é de que ele fique em uma cela individual. A prisão preventiva contra o líder espiritual foi decretada no fim da manhã de sexta-feira (14).

Integrantes do grupo destacado para fazer a investigação e as negociações, no entanto, ainda colocam em dúvida se o acerto será de fato cumprido.

Para eles, a defesa do médium deverá aguardar o resultado do pedido de habeas corpus. Se a medida for concedida antes de ele se apresentar, seria possível evitar um desgaste ainda maior para o médium, que atrai anualmente para a cidade goiana de Abadiânia 120 mil fiéis – 40% deles estrangeiros.

O advogado de defesa de João de Deus, Alberto Zacharias Toron, no entanto, assegurou em entrevista que seu cliente vai se entregar antes da apresentação do habeas corpus. A ação será proposta segunda.

Os relatos de abuso sexual vieram à tona há uma semana, quando o programa Conversa com Bial apresentou depoimentos de mulheres que se sentiram abusadas. Dois dias depois que os primeiros relatos foram divulgados, o Ministério Público e a Polícia Civil de Goiás formaram forças-tarefas para investigar os casos. Já foram coletados mais de 330 depoimentos. Desse total, 30 mulheres formalizaram até o momento as acusações.

Nesta semana, somente na cidade de Abadiânia, onde funciona a Casa Dom Inácio, foram iniciados três inquéritos. Eles se juntam a outros três que já haviam sido abertos antes de os depoimentos contra João de Deus serem divulgados na TV.

João de Deus não é visto publicamente desde quarta, quando visitou a casa Dom Inácio de Loyola e, em pronunciamento rápido, garantiu inocência e disse estar a disposição da Justiça. Depois de a prisão preventiva ser decretada, a Polícia Civil já percorreu mais de 20 endereços em busca do médium. Sua casa em Abadiânia, no entanto, ainda não foi alvo de buscas.

Outro lado

O advogado criminalista Alberto Toron, que representa João de Deus, se posicionou sobre as acusações de abuso sexual contra o médium em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo. Ele afirmou que o médium “nega e recebe com indignação a existência dessas declarações”.

“O que eu quero esclarecer, que me parece importante que se esclareça ao grande público, é que ele tem um trabalho de mais de 40 anos naquela comunidade, atendendo a todos os brasileiros, atendendo gente de fora do país, sem nunca receber esse tipo de acusação”, disse o advogado.

Ainda segundo Toron, João de Deus vai se apresentar à Justiça nos próximos dias para colaborar no que for necessário.

R7 tenta desde segunda-feira (10) ouvir o advogado, mas ainda não obteve resposta. Um novo contato foi realizado nesta quarta-feira (12), após o pedido de prisão. Uma entrevista com o médium também foi solicitada, também sem posicionamento do acusado.

Região: Homem morre esfaqueado em tocaia armada pelo ex-marido de sua mulher

Valmir Vitorino foi morto a facadas na tarde de quarta-feira (12), quando chegava em sua residência no bairro Campina, na zona rural de Cafelândia.

O autor do crime seria o ex-marido de sua esposa.

Conforme as primeiras informações levantadas pelos policiais militares que atenderam a ocorrência, Valmir e sua companheira estavam chegando em casa e o assassino estava dentro da residência, escondido atrás da porta. Quando eles entraram o homem esfaqueou Valmir.

A vítima ainda saiu correndo, para fugir do agressor, mas caiu na estrada rural a poucos metros de sua casa, morrendo no local.

A equipe da Polícia Militar de Cafelândia procura pelo suspeito.

Gostaria de fazer parte da nossa rede de amigos? Basta Clicar aqui!Sim, Eu Quero!