Real é a 3ª moeda que mais perdeu valor em relação ao dólar

real é a terceira moeda que mais se desvalorizou em relação ao dólar em abril, em uma lista de 47 moedas com cotações à vista ranqueadas pelo “Estadão/Broadcast”. A expectativa de um novo aperto nos juros nos EUA também tem pressionado outras moedas, mas no Brasil, esse movimento é acentuado diante das incertezas eleitorais. A moeda americana fechou nessa terça-feira, 24 em alta de 0,61%, a R$ 3,4706.

Grandes bancos, como BofA Merrill Lynch e o Itaú Unibanco, reconhecem que há aumento das incertezas eleitorais. O desempenho do real só não foi pior que o bolívar venezuelano, que derrete com a crise humanitária, e o rublo russo, que sofre com a incerteza geopolítica.

Abril tem sido ruim para a maior parte das moedas do mundo. A expectativa de que os juros americanos subam mais rapidamente que o esperado é o motor comum para a desvalorização de 33 moedas em todo o mundo neste mês.

Isso reforça a perspectiva de migração de dinheiro de todo o planeta rumo aos EUA para se aproveitar dos juros, o que enfraquece as demais moedas.

“Ao longo do ano passado, também foi caindo a diferença entre os juros americanos e a Selic, a taxa básica de juros do Brasil”, diz Julia Gottlieb, do Itaú Unibanco. “Essa diferencia está na mínima histórica, o que pode impactar no real.”

O cenário externo, porém, é apenas uma parte da explicação. Problemas domésticos castigam algumas divisas mais fortemente e o Brasil está nessa onda. Em abril, o dólar ficou 5,2% mais caro na comparação com o real brasileiro. Essa perda de valor levou a moeda norte-americana a um patamar não visto desde o fim de 2016.

Outubro incerto

A eleição parece ser o grande risco no curto e médio prazo para o Brasil. Uma pesquisa do BofA Merrill Lynch enviada aos clientes na semana passada mostra que 45% dos entrevistados dizem que as eleições são o maior risco para os mercados da América Latina. Neste ano, as duas maiores economias da região – Brasil e México – irão às urnas.

Sobre a disputa no Brasil, há deterioração das percepções. Em março, a maioria dos entrevistados (56%) apostava que a chance de vitória de um presidente de agenda reformista de centro-direita estava entre 51% e 70%. Em abril, essa avaliação caiu para menos da maioria e 42% deram essa resposta.

Ao mesmo tempo, o porcentual dos que atribuem chance não majoritária, entre 31% e 50%, de vitória de um reformista cresceu de 30% em março para o mesmo patamar de 42%.

Para o BofA Merril Lynch, os investidores ainda parecem “razoavelmente positivos” sobre a vitória de um reformista. “Cerca de metade diz que há mais de 50% de chance de um candidato de centro-direita vencer e porcentual similar diz que a reforma da Previdência será aprovada em 2019”, cita a pesquisa.

A incerteza eleitoral é destacada pelos economistas do Itaú Unibanco. Ao citar a mais recente pesquisa do instituto Datafolha, o maior banco privado brasileiro diz em relatório que “as eleições permanecem sem um claro favorito”. Ao lembrar que indicadores econômicos domésticos têm tropeçado, o banco diz que “as incertezas estão maiores” para o Brasil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão. 

Falta de planejamento antes do plantio deixa dúvidas sobre produtividade do milho, diz especialista

Produtores de milho do oeste paranaense estão em dúvida quanto à produtividade do milho nesta “safrinha” de 2018. Muitos questionam se a quantidade produzida será suficiente para pagar os investimentos feitos a partir do plantio.

Segundo informações do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Agricultura do Estado, divulgadas no início do ano, o Paraná teve uma queda de 11 por cento na área plantada, na comparação com 2016/17, e tem perspectiva de que a produtividade recue 7% na comparação anual.

Segundo o Engenheiro Agrônomo e produtor de Missal, Renan Pies, o período de aproximadamente 20 dias sem chuvas expressivas e sem previsão de que elas aconteçam, aliado ao plantio em atraso e a expectativa de geada no fim do próximo mês, aumentam as incertezas sobre a produtividade. (Áudio Renan)

Na região de Guaíra, o tempo seco e as altas temperaturas que persistem desde o início de abril também estão comprometendo as lavouras de inverno, principalmente o milho. Segundo o Instituto Tecnológico Climatempo, a região de Guaíra já esta há quase 30 dias sem chuva. Muitos produtores rurais já começam a colocar os prejuízos em decorrência da estiagem prolongada na ponta da caneta.

O presidente do Sindicato Rural Patronal de Guaíra, Silvanir Rosset, disse que o impacto da estiagem junto a lavoura já pode ser sentido pelo agricultor.(Áudio Silvanir)

De acordo com o engenheiro agrônomo da Emater, Lauro Ramos, os plantios em fase de frutificação são os mais atingidos pela falta de água, mas segundo ele, ainda é cedo para quantificar perdas.(Áudio Lauro)

Segundo o Climatempo, o bloqueio atmosférico sobre a região sudeste, deixa o tempo aberto e sem condições para chuva ao longo dos próximos dez dias, no Paraná, Mato Grosso, São Paulo e sul de Minas Gerais. Com isso, os níveis de umidade do solo vão reduzir drasticamente nesse período, afetando o desenvolvimento de 2ª safra, em especial o milho e o feijão, reduzindo a produtividade.

De acordo com o especialista em produção animal e economia, Adriano Ramos Cardoso, os agricultores deveriam ter feito um planejamento antes do plantio para não terem essa incerteza, podendo inclusive ter optado por outras culturas, pois o milho foi semeado com atraso. (Áudio Adriano 1)

Para este ano existe uma previsão de termos um inverno mais frio se comparado aos últimos anos, inclusive vivendo a expectativa de geadas mais cedo. Ainda em conversa com Adriano Ramos Cardoso, ele comentou o processo de cuidados que devem ter os criadores quanto à alimentação dos animais neste período. (Áudio Adriano 2)

RENAN

SILVANIR

LAURO

ADRIANO 1

ADRIANO 2

Luan e Fábio de Melo farão shows gratuitos no 65° aniversário de Cianorte

A exemplo de anos anteriores, a Prefeitura de Cianorte preparou uma agenda recheada de atrativos, incluindo grandes shows gratuitos, para comemorar o aniversário de emancipação política.

O cronograma terá início no dia 15 de julho (domingo), com a 16ª Cavalgada Ecológica Parque Cinturão Verde. No dia 18  acontece a homenagem aos pioneiros, no auditório da ACIC. Já no dia 21, no santuário eucarístico diocesano (Igreja Matriz), será realizada a missa em ação de graças.

De 22 a 24, a 41ª Expovest movimentará o mercado atacadista do vestuário. No dia 26 (feriado), o tradicional desfile cívico-militar reunirá entidades e população em frente ao Paço Municipal.

Segundo o prefeito Bongiorno, no tocante às atrações artísticas, uma pesquisa entre os moradores do município foi levada em conta. Os shows terão início no dia 21 (sábado), com a apresentação da dupla Hugo e Tiago, e seguem com os shows do padre Fábio de Melo (22), Luan Santana (25), Gustavo Miotto (26), Léo e Rafael (27) e Mariana e Mateus (28).

A programação será desenvolvida no centro de eventos Carlos Yoshito Mori.

Programação de shows

21/07 (sábado) – Hugo & Tiago

22/07 (domingo) – Padre Fábio de Melo

23/07 (segunda-feira) – Palco RPC

24/07 (terça-feira) – Palco RPC

25/07 (quarta-feira) – Luan Santana

26/07 (quinta-feira) – Gustavo Miotto

27/07 (sexta-feira) – Leo & Rafael

28/07 (sábado) – Mariana & Matheus

29/07 (domingo) – Palco RPC (Hip Hop/ Eletrônico)

Mais de 40% dos brasileiros até 14 anos vivem em situação de pobreza

Mais de 40% de crianças e adolescentes de até 14 anos vivem em situação domiciliar de pobreza no Brasil, o que representa 17,3 milhões de jovens. Em relação àqueles em extrema pobreza, o número chega a 5,8 milhões de jovens, ou seja, 13,5%. O que caracteriza a população como pobres e extremamente pobres é rendimento mensal domiciliar per capita de até meio e até um quarto de salário mínimo, respectivamente.

Os dados são da publicação “Cenário da Infância e da Adolescência no Brasil”, que será divulgado nesta terça-feira (24) pela Fundação Abrin. O estudo relaciona indicadores sociais aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), compromisso global para a promoção de metas de desenvolvimento até 2030, do qual o Brasil é signatário junto a outros 192 países.

“Algumas metas [dos ODS] certamente o Brasil não vai conseguir cumprir, a menos que invista mais em políticas públicas voltadas para populações mais vulneráveis. Sem investimento, fica muito difícil cumprir esse acordo”, avaliou Heloisa Oliveira, administradora executiva da Fundação Abrinq. “Se não houver um investimento maciço em políticas sociais básicas voltadas à infância, ficamos muito distantes de cumprir o acordo”.

Um dos exemplos de metas difíceis de serem cumpridas está relacionada à educação, mais especificamente ao acesso à creche. “Você tem uma meta, que entra no Plano Nacional de Educação [PNE], de oferecer vagas para 50% da população de 0 a 3 anos [até 2024]. Se você não aumentar o investimento e a oferta de vagas em creches – hoje estamos com 27% de cobertura –, não chegaremos em 50% para atender o PNE. Essa é também uma meta dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável [da ONU]”, explica Heloisa.

Outra meta distante do cumprimento é sobre a erradicação do trabalho infantil. “O acordo [com a ONU] prevê que, até 2025, os países erradiquem todo tipo de trabalho escravo e trabalho infantil. Nós [Brasil] ainda temos 2,5 milhões crianças em situação de trabalho. Se não houver investimento na erradicação do trabalho infantil, essa meta certamente não vai ser alcançada”, avaliou.

Segundo Heloisa, o relatório ressalta o quanto os jovens são vulneráveis à pobreza.  Ela compara que, enquanto as crianças e adolescentes representam cerca de 33% da população brasileira, entre os mais pobre esse patamar é maior. “Se você fizer um recorte pela pobreza cruzado com a idade, você vai perceber que entre a população mais pobre tem um contingente ainda maior de crianças e adolescentes [40,2%]. Esse é um ponto importante que ressalta o quanto as crianças são vulneráveis à pobreza”, diz.

A representante destaca ainda a importância de analisar os indicadores do ponto de vista regional, uma vez que a média nacional não reflete o que se passa nas regiões mais pobres. Em relação à renda, o Nordeste e o Norte continuam apresentando os piores cenários, com 60% e 54% das crianças, respectivamente, vivendo na condição de pobreza, enquanto a média nacional é de 40,2%.

“Quando olhamos para uma média nacional, tendemos a achar que a realidade está um pouco melhor do que de fato ela está. O Brasil é um país muito grande, muito desigual, então se você olhar os dados regionais, vai ver que as regiões mais pobres concentram os piores indicadores de educação, de acesso à água e saneamento, de acesso a creches, por exemplo”.

O relatório mostra que 18,4% dos homicídios cometidos no Brasil em 2016 vitimaram menores de 19 anos de idade, um total de 10.676. A maioria desses jovens (80,7%) foi assassinada por armas de fogo. O Nordeste concentra a maior proporção de homicídios de crianças e jovens por armas de fogo (85%) e supera a proporção nacional, com 19,8% de jovens vítimas de homicídios sobre o total de ocorrências na região.

A violência é a consequência da falta do investimento nas outras políticas sociais básicas, segundo Heloisa. “Os outros índices influenciam diretamente a estatística da violência. Se você investir na manutenção das crianças e adolescentes na escola até completar a educação básica – que está prevista na lei brasileira, que seria até 17 anos –, se investir na proteção das famílias, na disponibilização de atividades e espaços esportivos para crianças e adolescentes, você vai ter um número muito menor de jovens envolvidos com a violência”, conclui

Heloisa destaca que há uma relação direta dos altos índices de violência com as estatísticas de pobreza. “A prova de que isso é uma relação direta é que, entre esses 10,6 mil crianças e adolescentes assassinados [em 2016], a maioria deles, mais de 70%, são jovens negros, pobres e que vivem em periferia. Portanto, são adolescentes que vivem em situação de vulnerabilidade social, ou seja, poderia ser evitado com investimento em enfrentamento da pobreza, melhorando a qualidade de moradia, educação e saúde”, acrescenta.

Para reduzir a violência e os homicídios nessa faixa etária, Heloisa alerta que não basta investir em segurança pública. “O melhor indicador da segurança pública é a evasão escolar zero”, diz. Ela cita um estudo, realizado pelo sociólogo Marcos Rolim, do Rio Grande do Sul, com jovens que ficaram na escola e outros que saíram precocemente. “O resultado que ele encontrou é que os jovens que permanecem na escola não se envolvem com violência, portanto, há uma relação direta e o melhor investimento para segurança pública é a escolarização, é a manutenção dessas crianças na escola”.

Os indicadores selecionados para o Cenário da Infância e da Adolescência podem ser encontrados no portal criado pela Fundação Abrinq Observatório da Criança e do Adolescente. Com informações da Agência Brasil.

PF cumpre mandados autorizados pelo STF no Congresso

Polícia Federal realiza na manhã desta terça-feira (24) operação no Congresso Nacional, que tem como alvos o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) e o senador Ciro Nogueira (PP-PI). Também há um mandato de prisão contra o ex-deputado Márcio Junqueira, de Roraima.

Na nova fase da Lava Jato, o ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), aponta a necessidade de obter provas referentes aos crimes de embaraço à investigação de organização criminosa.

Em nota, a Procuradoria-Geral da República afirmou que estão sendo cumpridos nove mandados, sendo oito de busca e apreensão e um de prisão preventiva.

Embora não cite o nome dos parlamentares (devido ao sigilo da operação), a PGR diz que as ordens determinadas por Fachin, a pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, têm como objetivo “reunir mais provas provas de que os dois políticos tentavam comprar o silêncio de um ex-assessor que tem colaborado com as investigações.”

O ex-parlamentar é apontado, segundo a PGR, como “o intermediário do esquema, que inclui o pagamento de despesas pessoais, ameaças e até proposta para a mudança do teor de depoimento que incriminaria os alvos da operação de hoje”.

A procuradoria afirma que as buscas ocorrem, além de Brasília, em em Teresina, Recife e Boa Vista.

Em sua decisão, Fachin autorizou a Polícia Federal a recolher documentos, artigos eletrônicos e dinheiro em espécie acima de R$ 50 mil, entre outros itens.

Fachin determinou que os mandados sejam cumpridos “com a máxima discrição e com a menor ostensividade”.

Nas ordens de buscas nos gabinetes dos parlamentares, Fachin destacou que os mandados devem ser cumpridos com o acompanhamento de um funcionário do Congresso e que as justificativas para os itens recolhidos devem estar fundamentadas nos autos da operação.

Um dos partidos mais implicados na Lava Jato, o PP também foi uma das siglas que mais atraíram congressistas na última janela que permitiu a livre migração de deputados entre os partidos. A legenda chegou a 51 parlamentares e se tornou, ao lado do MDB, a segunda maior bancada da Câmara.

Os policiais federais chegaram à Câmara e ao Senado nas primeiras horas da manhã. Na Câmara, o sexto andar do prédio de gabinetes, onde fica o de Eduardo da Fonte, foi isolado pela Polícia Legislativa. No Senado, a PF chegou em um carro descaracterizado. O terceiro andar, onde fica o gabinete de Ciro Nogueira, também foi isolado para o trabalho dos policiais.

OUTRO LADO

Em nota, a defesa do senador Ciro Nogueira informou que está acompanhando as buscas que estão sendo realizadas na residência e no gabinete.

Seu advogado, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, diz que Ciro está fora do país, que não foi possível falar com ele e que desconhece as razões da determinação judicial do ministro Fachin.

“É certo que o senador sempre se colocou à disposição do Poder Judiciário, prestando depoimentos sempre que necessário e, inclusive, já foi alvo de busca e apreensão. Continuará a agir o senador como o principal interessado no esclarecimento dos fatos. No momento, a defesa aguarda contato com o senador para poder ter o necessário instrumento de poderes que dará direito ao acesso aos fundamentos da medida de busca e apreensão”, diz o texto.

A reportagem não obteve retorno da defesa dos outros alvos.

De acordo com pessoas que acompanham a operação, policiais federais fizeram cópias dos HDs dos computadores do gabinete de Eduardo da Fonte. Segundo a assessoria do parlamentar, ele está no Recife e ainda não se manifestou. Com informações da Folhapress.

Caminhões pegam fogo após colisão na BR-476

Um grave acidente de trânsito foi registrado na tarde desta segunda-feira (23) na rodovia BR-476, em Paulo Frontin, proximidades de São Mateus do Sul.

Segundo informações, dois caminhões se envolveram na colisão e pegaram fogo.

 As equipes do Corpo de Bombeiros de São Mateus do Sul foram mobilizada para prestar atendimentos à ocorrência.

Não foram repassados detalhes de feridos e se eles estão presos às ferragens ou foram retirados antes do incêndio.

Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal também foi mobilizada ao local, pois o trânsito na rodovia ficou interditado.

Foto: WhatsApp Repórter Tiago Amaral.

Futebol feminino: Brasil conquista no Chile sua sétima Copa América

Com 100% de aproveitamento, a seleção brasileira venceu a Copa América de Futebol Feminino no Chile, a sétima conquista da competição.

Em partida realizada na noite desse domingo (22), as meninas do Brasil não tiveram dificuldade para vencer as colombianas por 3 x 0 no Estádio La Portada, em La Serena, com dois gols de Mônica e um de Formiga.

O resultado garantiu também ao Brasil vagas nas Olimpíada de 2020, no Japão, e na Copa do Mundo 2019, na França.

Para o treinador Oswaldo Alvarez, conhecido como Vadão, a fase preparatória foi essencial para o desempenho da seleção na Copa América, com sete vitórias em sete jogos, 31 gols marcados e apenas dois sofridos.

“Das 22 jogadoras que estão aqui conosco, 11 participaram dos três meses de trabalho na Granja Comary, em Teresópolis, quatro estiveram grande parte do tempo, e claro, as que atuam fora do Brasil se apresentaram nas datas da Fifa (datas em que a Federação Internacional de Futebol define para a realização de jogos preparatórios), disse Vadão.

 

*Com informações da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)

Em entrevista solo, Simone comenta situação de Simaria

Cumprindo agenda profissional sem Simaria, a cantora Simone falou sobre o estado de saúde da irmã, que precisou se internar e dar um tempo curto na carreira. Em conversa com o jornalista João Lima Neto, a coleguinha declarou que a irmã está se recuperando e sente saudades dos palcos.

“Não está sendo fácil ganhar esse dinheirinho sozinha”, brincou Simone. “Estive com ela ontem, ela está se recuperando e morrendo de saudades de estar no palco, mandou um beijo muito carinhoso pra banda, manda sempre carinho para os fãs e está ligada em tudo que está acontecendo. Em breve ela vai voltar pra todo mundo”, disse.

Simaria foi internada com tuberculoso ganglionar e deve ficar longe dos palcos por 30 dias.

Conservador Mario Abdo Benítez vence eleição no Paraguai

O candidato direitista Mario Abdo Benítez venceu a eleição presidencial no Paraguai neste domingo (22). Com 96% das urnas apuradas, ele recebeu 46,49% dos votos, informou o presidente do Tribunal Eleitoral do país, Jaime Bestard.

Seu principal oponente, o liberal Efrain Alegre, de uma coalizão de centro esquerda, recebeu 42,72% da preferência dos eleitores.

Benítez sucederá em agosto o presidente Horacio Cartes, um empresário da indústria do tabaco que, nestas eleições, candidatou-se ao Senado.

Os centros de votação fecharam às 16h local (17h de Brasília), sem incidentes, informou a autoridade eleitoral. Participaram da eleição cerca de 65% dos 4,2 milhões de eleitores.

Outros oito candidatos competiram pela presidência, mas sem chances reais de vencer.

Nas eleições, de um só turno, também esteve em jogo a composição do Congresso (Senadores e Deputados) e os governos dos 17 departamentos, além das cadeiras no Parlasur (Parlamento do Mercosul).

Em conjunto, foram apresentadas mais de 15 mil candidaturas desde as fileiras de 23 partidos, 17 alianças, outros tantos movimentos e quatro combinações.

Foram desdobrados cerca de 300 observadores internacionais em todo o país de organismos como a União Europeia (UE), a Organização de Estados Americanos (OEA) e a União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore).

Veja mitos e verdades sobre a gripe; vacinação começa nesta segunda-feira

A campanha de vacinação contra a gripe tem início nesta segunda-feira, 23, em todo o País. A mobilização nacional termina no dia 1º de junho e não haverá prorrogação. Poderá tomar a vacina quem pertence ao grupo prioritário, considerado pelo Ministério da Saúde mais suscetível ao agravamento de doenças respiratórios. A meta do governo federal é imunizar 54 milhões pessoas do grupo prioritário.

Podem se vacinar pessoas acima de 60 anos, crianças com idade entre seis meses e cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – entre eles, adolescentes de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e funcionários do sistema prisional.

De acordo com o Ministério da Saúde, também estão aptos a se imunizar os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais. Este público deve apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação.

Os pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) também poderão se dirigir aos postos de saúde em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

A chegada da campanha de vacinação traz algumas dúvidas: é preciso tomar a vacina todos os anos? A gripe pode matar? A vacina é a única forma de evitar gripe? Como parte da campanha, o Ministério listou mitos e verdades sobre a doença.

Mitos

1. É possível pegar gripe pela vacina?

Isso não é possível. A vacina contra a gripe é feita com o vírus morto. Portanto, é 100% segura e incapaz de provocar a doença nas pessoas que são vacinadas.

2. Em gestantes, a vacina faz mal para o bebê?

Pelo contrário. É muito importante a vacinação das grávidas, pois quando a mãe é vacinada o bebê também fica protegido.

3. A única forma de prevenir a gripe é tomando a vacina?

A vacina contra a gripe é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença, porém, existem outras medidas importantes que ajudam na prevenção:

– Lavar e higienizar as mãos com frequência.

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talher, copo e garrafa.

– Evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca.

– Ter boa alimentação e beber bastante líquido.

– Evitar contato com pessoas que estejam com sintomas da gripe.

– Manter a sua casa bem arejada.

Verdades

1. É preciso tomar a vacina todos os anos? 

Sim. Isso acontece por dois motivos. Primeiro, porque a imunidade da vacina se mantém por um período de aproximadamente 12 meses. Segundo, porque a cada ano temos vírus diferentes, que causam diferentes tipos de gripe, e a vacina é produzida a partir dos vírus que estão mais propensos a aparecer durante o período de vacinação.

2. A gripe pode matar?

Se não for tratada a tempo, a gripe pode causar complicações graves e levar à morte, principalmente nos grupos de alto risco como, pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de cinco anos, gestantes e doentes crônicos.

3. Gripe e resfriado são doenças diferentes?

Embora os sintomas sejam muito parecidos, os vírus que causam a gripe e o resfriado são diferentes. A gripe é uma doença mais grave, que causa febre alta, dores musculares, dor de cabeça, dor de garganta e exige mais cuidados para não evoluir para uma pneumonia. Já o resfriado é mais brando e dura menos tempo.

Gostaria de fazer parte da nossa rede de amigos? Basta Clicar aqui!Sim, Eu Quero!