Enio Manoel

No discurso de posse, Bolsonaro pede apoio para reconstruir o país

Logo após fazer o juramento de posse no Congresso Nacional, Jair Bolsonaro  foi empossado às 15h10 presidente do Brasil. Ele jurou “manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro e sustentar a União, a integridade e a independência do Brasil.” O mesmo foi feito por seu vice, Hamilton Mourão.

Em seu primeiro discurso como presidente da República, Bolsonaro, em cerca de dez minutos, anunciou, sem detalhar, que fará reformas estruturantes e criará um circulo virtuoso de confiança na economia. Ele pediu o apoio do povo unido e do Congresso para reconstruir o país. Segundo ele, os “enormes desafios” poderão ser superados com a “sabedoria de ouvir a voz do povo.”

“Aproveito este momento solene e convoco os congressistas para me ajudar na missão de restaurar e de reeguer a nossa pátria. Libertando-a definitivamente do jugo da corrupção, da criminalidade, da irresponsabilidade econômica e submissão ideológica”, afirmou.  “Vamos unir o povo, valorizar a família, respeitar as religiões e a nossa tradição judaico-cristã, combatendo a ideologia de gênero, resgatando os nossos valores. O Brasil passará a ser um país livre das amarras ideológicas”, acrescentou.

O presidente eleito Jair Bolsonaro no Congresso Nacional para a sessão solene de posse.
O presidente eleito Jair Bolsonaro no Congresso Nacional para a sessão solene de posse. – TV Brasil

Ao começar a ler, de óculos, seu pronunciamento, o presidente saudou as autoridades e chefes de Estado presentes e sua família, em especial a esposa Michelle – a quem,  fez questão de destacar, conheceu na Câmara dos Deputados. Além de reafirmar o tom de seu discurso de campanha, Bolsonaro reiterou o compromisso com pontos de seu programa de governo, como a defesa do porte de armas, o apoio à ação dos  policiais e das Forças Armadas, o redirecionamento da política externa e mencionou ainda eventuais mudanças na educação pública.

“Reafirmo meu compromisso de construir uma sociedade sem discriminação nem divisão. Daqui adiante nos pautaremos pela vontade soberana dos brasileiros que querem boas escolas capazes de preparar seus filhos para o mercado de trabalho e não para militância política, que sonham com a liberdade de ir e vir sem ser vitimados pelo crime, ” enumerou.

Bolsonaro destacou a questão do porte de arma, que pretende autorizar, segundo já anunciou, por meio de decreto presidencial. “O cidadão de bem merece dispor de meios para se defender, respeitando o referendo de 2005, quando optou nas urnas pelo direito à legitima defesa.”

Economia

Sobre economia, ele disse o seguinte: “Na economia, traremos a marca da confiança, do interesse nacional, do livre mercado e da eficiência. Confiança no cumprimento que o governo não gastará mais do que arrecada e na garantia de que as regras, os contratos e as propriedades serão respeitadas.”

E acrescentou: “Realizaremos reformas estruturantes, que serão essenciais para a saúde financeira, e sustentabilidade das contas públicas, transformando o cenário econômico e abrindo novas oportunidades. Precisamos criar um círculo virtuoso para a economia para permitir abrir os nossos mercados para o cenário internacional, estimulando a competição, a produtividade e a eficácia sem o viés ideológico. Bolsonaro destacou a importância do agronegócio para o país. “O setor agropecuário terá papel decisivo, em perfeita harmonia com a preservação do meio ambiente”, disse.

Equipe técnica

Ele afirmou ainda  ter montado uma “equipe técnica, sem o tradicional viés político, que tornou o Estado ineficiente e corrupto.”  Prometeu valorizar e resgatar a credibilidade do Congresso.  Bolsonaro defendeu ainda “um pacto nacional entre sociedade e os Três Poderes e disse que sua prioridade será “proteger  e revigorar a democracia brasileira”, para que se tenha uma sociedade” justa  desenvolvida”, com saúde e educação, que estabeleça uma ruptura com as práticas antigas – referindo-se à corrupção. Neste “novo capítulo”, frisou o presidente,  “o Brasil será visto como pais forte, pujante, confiante e ousado”.

Como sempre tem feito, ele agradeceu aos profissionais de saúde e a Deus por ter salvado sua vida e se disse “fortalecido e emocionado”. Desta vez, foi mais enfático sobre o atentado a faca que sofreu em Juiz de Fora.

“Inimigos da pátria, da ordem e da liberdade tentaram acabar com a minha vida.”, afirmou. Jair Bolsonaro disse ter sido defendido pelos brasileiros. Nada aconteceria sem esforço e o engajamento de milhares de brasileiros que tomaram as ruas para defender a democracia”, afirmou.

Confira a íntegra do discurso:

Senhoras e Senhores,

Com humildade, volto a esta Casa, onde, por 28 anos, me empenhei em servir à nação brasileira, travei grandes embates e acumulei experiências e aprendizados, que me deram a oportunidade de crescer e amadurecer.

Volto a esta Casa, não mais como deputado, mas como Presidente da República Federativa do Brasil, mandato a mim confiado pela vontade soberana do povo brasileiro.

Hoje, aqui estou, fortalecido, emocionado e profundamente agradecido, a Deus pela minha vida e aos brasileiros, por confiarem a mim a honrosa missão de governar o Brasil, neste período de grandes desafios e, ao mesmo tempo, de enorme esperança.

Aproveito este momento solene e convoco, cada um dos Congressistas, para me ajudarem na missão de restaurar e de reerguer nossa Pátria, libertando-a, definitivamente, do jugo da corrupção, da criminalidade, da irresponsabilidade econômica e da submissão ideológica.

Temos, diante de nós, uma oportunidade única de reconstruir nosso país e de resgatar a esperança dos nossos compatriotas.

Estou certo de que enfrentaremos enormes desafios, mas, se tivermos a sabedoria de ouvir a voz do povo, alcançaremos êxito em nossos objetivos, e, pelo exemplo e pelo trabalho, levaremos as futuras gerações a nos seguir nesta tarefa gloriosa.

Vamos unir o povo, valorizar a família, respeitar as religiões e nossa tradição judaico-cristã, combater a ideologia de gênero, conservando nossos valores. O Brasil voltará a ser um país livre de amarras ideológicas.

Pretendo partilhar o poder, de forma progressiva, responsável e consciente, de Brasília para o Brasil; do Poder Central para Estados e Municípios.

Minha campanha eleitoral atendeu ao chamado das ruas e forjou o compromisso de colocar o Brasil acima de tudo, e Deus acima de todos.

Por isso, quando os inimigos da pátria, da ordem e da liberdade tentaram pôr fim à minha vida, milhões de brasileiros foram às ruas. Uma campanha eleitoral transformou-se em um movimento cívico, cobriu-se de verde e amarelo, tornou-se espontâneo, forte e indestrutível, e nos trouxe até aqui.

Nada aconteceria sem o esforço e o engajamento de cada um dos brasileiros que tomaram as ruas para preservar nossa liberdade e democracia.

Reafirmo meu compromisso de construir uma sociedade sem discriminação ou divisão.

Daqui em diante, nos pautaremos pela vontade soberana daqueles brasileiros: que querem boas escolas, capazes de preparar seus filhos para o mercado de trabalho e não para a militância política; que sonham com a liberdade de ir e vir, sem serem vitimados pelo crime; que desejam conquistar, pelo mérito, bons empregos e sustentar com dignidade suas famílias; que exigem saúde, educação, infraestrutura e saneamento básico, em respeito aos direitos e garantias fundamentais da nossa Constituição.

O Pavilhão Nacional nos remete à “ORDEM E AO PROGRESSO”.

Nenhuma sociedade se desenvolve sem respeitar esses preceitos.

O cidadão de bem merece dispor de meios para se defender, respeitando o referendo de 2005, quando optou, nas urnas, pelo direito à legítima defesa.

Vamos honrar e valorizar aqueles que sacrificam suas vidas em nome de nossa segurança e da segurança dos nossos familiares.

Contamos com o apoio do Congresso Nacional para dar o respaldo jurídico aos policiais para realizarem seu trabalho.

Eles merecem e devem ser respeitados!

Nossas Forças Armadas terão as condições necessárias para cumprir sua missão constitucional de defesa da soberania, do território nacional e das instituições democráticas, mantendo suas capacidades dissuasórias para resguardar nossa soberania e proteger nossas fronteiras.

Montamos nossa equipe de forma técnica, sem o tradicional viés político que tornou nosso estado ineficiente e corrupto.

Vamos valorizar o Parlamento, resgatando a legitimidade e a credibilidade do Congresso Nacional.

Na economia traremos a marca da confiança, do interesse nacional, do livre mercado e da eficiência.

Confiança no compromisso de que o governo não gastará mais do que arrecada e na garantia de que as regras, os contratos e as propriedades serão respeitados.

Realizaremos reformas estruturantes, que serão essenciais para a saúde financeira e sustentabilidade das contas públicas, transformando o cenário econômico e abrindo novas oportunidades.

Precisamos criar um ciclo virtuoso para a economia que traga a confiança necessária para permitir abrir nossos mercados para o comércio internacional, estimulando a competição, a produtividade e a eficácia, sem o viés ideológico.

Nesse processo de recuperação do crescimento, o setor agropecuário seguirá desempenhando um papel decisivo, em perfeita harmonia com a preservação do meio ambiente.

Da mesma forma, todo setor produtivo terá um aumento da eficiência, com menos regulamentação e burocracia.

Esses desafios só serão resolvidos mediante um verdadeiro pacto nacional entre a sociedade e os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, na busca de novos caminhos para um novo Brasil.

Uma de minhas prioridades é proteger e revigorar a democracia brasileira, trabalhando arduamente para que ela deixe de ser apenas uma promessa formal e distante e passe a ser um componente substancial e tangível da vida política brasileira, com o respeito ao Estado Democrático.

A construção de uma nação mais justa e desenvolvida requer a ruptura com práticas que se mostraram nefastas para todos nós, maculando a classe política e atrasando o progresso.

A irresponsabilidade nos conduziu à maior crise ética, moral e econômica de nossa história.

Hoje começamos um trabalho árduo para que o Brasil inicie um novo capítulo de sua história.

Um capítulo no qual o Brasil será visto como um país forte, pujante, confiante e ousado.

A política externa retomará seu papel na defesa da soberania, na construção da grandeza e no fomento ao desenvolvimento do Brasil.

Senhoras e Senhores Congressistas,

Deixo esta casa, rumo ao Palácio do Planalto, com a missão de representar o povo brasileiro.

Com a benção de Deus, o apoio da minha família e a força do povo brasileiro, trabalharei incansavelmente para que o Brasil se encontre com o seu destino e se torne a grande nação que todos queremos.

Muito obrigado a todos vocês.

BRASIL ACIMA DE TUDO!

DEUS ACIMA DE TODOS!

Bolsonaro construiu vantagem de 10,7 milhões de votos em 63 cidades

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que toma posse hoje (1o) à tarde, conquistou 57,8 milhões de votos no segundo turno das eleições de 2018 e abriu uma vantagem de 10,7 milhões de votos sobre seu adversário, o petista Fernando Haddad. Essa vantagem foi construída em 63 cidades onde se registraram as maiores diferenças de votos a favor de Bolsonaro. O levantamento foi feito pela Agência Brasil, com base nos dados oficiais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Entre essas 63 cidades estão São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Goiânia, Manaus, Campinas, Joinville e Campo Grande. Desse grupo, pelo menos seis cidades –  São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Goiânia, Campinas e Joinville – já foram governadas pelo PT.

Bolsonaro ganhou em sete das dez maiores cidades brasileiras e, nesse grupo, só perdeu em Salvador, Fortaleza e Recife. Entre as 26 capitais estaduais e Brasília, venceu em 21 delas. Nos 27 maiores municípios do interior, Bolsonaro foi derrotado em dois: Jaboatão dos Guararapes (PE) e Feira de Santana (BA).

Nova Pádua

O presidente eleito teve 55,13% do total de votos válidos no segundo turno, mas foi na pequena Nova Pádua, cidade de colonização italiana na Serra Gaúcha, que conseguiu o melhor desempenho. Quase 93% dos 2.308 eleitores votaram em Bolsonaro, cuja família tem origem italiana.

Estão concentrados em municípios de pequeno porte do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e de São Paulo os dez maiores percentuais de votação do presidente. Seis em Santa Catarina: Rio Fortuna, Timbó, Ascurra, Treze de Maio, Benedito Novo e Pedras Grandes. Três ficam no Rio Grande do Sul – além de Nova Pádua, Flores da Cunha e Vespasiano Corrêa – e um em São Paulo (Saltinho). Nessas dez cidades, Bolsonaro teve mais de 87% dos votos válidos em cada uma.

O resultado das eleições presidenciais mostrou que Bolsonaro venceu em 15 estados e no Distrito Federal, mas perdeu no Nordeste, no Tocantins e no Pará. O presidente eleito também teve maioria de votos nos cinco continentes onde havia urnas no segundo turno das eleições. Dos 98 países onde ocorreu votação, Bolsonaro ganhou em 71.

Bolsonaro foi derrotado em todos os municípios do Ceará, do Piauí e de Sergipe, mas ganhou nas 75 cidades de Rondônia. Seus menores percentuais de votos foram em municípios do Piauí, estado que será governado, pela quarta vez, pelo petista Wellington Dias. Em Guaribas – cidade onde foi lançado o programa Fome Zero, no primeiro governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – Bolsonaro ficou com 2% dos votos, em um total de 3.577 eleitores, seu pior desempenho em todo o país.

Mudança e Desafios

A vitória de Jair Bolsonaro, candidato do pequeno PSL, que fez campanha basicamente pelas redes sociais, com pouco dinheiro e alguns segundos de horário eleitoral, interrompeu duas décadas de hegemonia política do PSDB e do PT  no Palácio do Planalto. Com sua eleição, perdem o comando do país as forças de centro-esquerda, substituídas pelos setores mais conservadores, à direita no arco político.

Bolsonaro prometeu um Estado mais enxuto e mais eficiente para seus eleitores. Deu destaque também à segurança pública e ao combate à corrupção. A estrela maior de sua equipe é Sérgio Moro, juiz da Lava-Jato que aceitou ser ministro da Justiça e da Segurança Pública.

Há grande expectativa também sobre a atuação do superministério da Economia, sob comando de Paulo Guedes, que promete um amplo programa de privatização e uma provável nova proposta de reforma da Previdência. Outra novidade é a indicação de militares em cargos estratégicos; são sete ministros originários das Forças Armadas na equipe ministerial.

O relacionamento do novo governo com Congresso para aprovação das reformas, a começar pela da Previdência, será testado em breve. Com 27 anos de mandato como deputado federal, o capitão da reforma Bolsonaro conhece bem o Congresso. Durante a campanha, optou por se relacionar com as bancadas temáticas, que indicaram alguns ministros, como o da Saúde e da Agricultura. A equipe de Bolsonaro afirma que não negociará com o Legislativo na base do toma-lá-dá-cá – expressão que significa a troca de favores e de cargos.

 

Carros batem de frente na BR-476 e três pessoas morrem em acidente

Três pessoas morreram e outras duas ficaram feridas em um acidente, na noite de segunda-feira (31), na BR-476, entre Brasilândia e Assis Chateaubriand. Os carros bateram de frente depois que um deles tentou ultrapassar uma carreta, no sentido contrário.

O condutor, a passageira e uma jovem, que ocupavam um dos veículos, não resistiram aos ferimentos e morreram. No outro carro, as duas ocupantes tiveram ferimentos graves e foram levadas ao Hospital de Umuarama.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros realizaram o socorro. O Instituto Médico Legal (IML) recolheu os corpos.

Datafolha: 65% dos brasileiros preveem governo Bolsonaro ótimo ou bom

Pesquisa do Instituto Datafolha revelou que 65% dos brasileiros preveem que o governo Bolsonaro será ótimo ou bom – porcentual maior que seu índice de vitória no segundo turno (55% dos votos válidos). Para 17% dos entrevistados, será uma gestão regular e, para 12%, o capitão reformado fará uma gestão ruim ou péssima. Não souberam opinar 6%.

Divulgado nesta terça-feira, 1º, o levantamento contou com 2.077 entrevistas realizadas em 130 cidades nos dias 18 e 19 de dezembro. A margem de erro é de dois pontos porcentuais. Mesmo alto, o porcentual de avaliações de governo ótimo ou bom sobre o governo Bolsonaro é mais baixo do que o de todos os presidentes brasileiros em suas primeiras eleições desde a redemocratização.

Fernando Henrique Cardoso (PSDB) contou com 70% de otimismo em sua primeira eleição. Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 76%. Dilma Rousseff (PT), 73%.

Entre homossexuais, afrodescendentes e indígenas, grupos que já foram alvo de comentários depreciativos por parte de Bolsonaro, o otimismo é inferior à média geral. Homossexuais têm 47% de expectativa positiva, índice que vai a 59% entre negros e indígenas. Mulheres são menos otimistas (61%) do que homens (69%).

Confira o ranking das séries mais vistas no ano

“The Big Bang Theory” perdeu a ponta do ranking das séries mais vistas pelos norte-americanos em 2018. A estrela do ano é “Roseanne”, que foi cancelada depois qua a protagonista, Roseanne Barr, publicou comentários racistas no Twitter.

Confira a lista das séries mais assistidas nos Estados Unidos, segundo um levantamento divulgado pela Nielsen:

“Roseanne”, com média de 19,960 milhões de espectadores

“The Big Bang Theory”, com média de 18,330 milhões espectadores

“NCIS”, com média de 16,724 milhões de espectadores

“This Is Us”, com média de 16,594 milhões de espectadores

“Young Sheldon”, com média de 15,668 milhões de espectadores

Eis as músicas mais tocadas nas rádios brasileiras em 2018

“Manifest”, com média de 14,622 milhões de espectadores

“The Good Doctor”, com média de 14,517 milhões de espectadores

“America’s Got Talent”, com média de 14,273 milhões de espectadores

“Bull”, com média de 13,511 milhões de espectadores

Mundo está conectado, mas desunido, diz Papa Francisco em discurso

papa Francisco lamentou a falta de união no mundo e fez um alerta para a busca desenfreada pelos lucros, em seu discurso de Ano-Novo, nesta terça-feira (1º).

“Quanta dispersão e solidão existe entre nós. O mundo está completamente conectado e, ainda assim, parece crescentemente desunido”, disse o pontífice na tradicional missa de Ano-Novo na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Esfaqueamento em Manchester é tratado como terrorismo

Ele disse que um mundo que olhe para o futuro e esqueça “o olhar materno” está míope.

“Pode aumentar seus lucros, mas não verá os outros como crianças. Vai ganhar dinheiro, mas não para todos. Nós iremos viver na mesma casa, mas não como irmãos e irmãs”, disse Francisco.

O pontífice pediu aos católicos que permaneçam unidos à igreja, dizendo que “a unidade conta mais que a diversidade”.

Ele também observou que a igreja está se arriscando a se tornar “um museu do passado” se as pessoas perderem o “o encanto da fé”. Com informações da Folhapress.

Etíope desbanca bicampeão na São Silvestre; jovem queniana também vence

Oetíope Belay Bezabh, 23, desbancou o compatriota e bicampeão Dawit Admasu e ficou com o título da categoria masculina da 94ª São Silvestre na manhã desta segunda-feira (31).

Com a conquista, Belay garantiu à Etiópia a quinta vitória do país nesta década, considerando que Admasu, naturalizado barenita, venceu a prova de 2017 ainda pela Etiópia.

A queniana Sandrafelis Chebet Tuei, 20, venceu a prova feminina com o tempo de 50 minutos e dois segundos. Foi a primeira conquista dela na tradicional corrida de rua de São Paulo.

Tuei vinha atrás da compatriota Pauline Kamulu até a subida da Brigadeiro Luis Antônio, mas imprimiu ritmo forte na parte final do trajeto e garantiu o título.

Notícias ao Minuto Queniana Sandrafelis Chebet Tuei

Mestawut Fikir Truneh, da Etiópia, chegou em terceiro. Esther Kakuri, do Quênia, e a etíope Birthukan Alemu completaram o pódio.

Aposentados com salário mínimo receberão valor reajustado em 25 de janeiro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) com benefício igual ao salário mínimo receberão os valores reajustados a partir do dia 25 de janeiro.

O índice ainda não está finalizado, mas a última previsão do governo Michel Temer (MDB) foi de um aumento final de 5,45%, levando o piso dos salários e aposentadorias dos atuais R$ 954 para R$ 1.006.

Para quem recebe acima do salário mínimo, o depósito do benefício reajustado começará em 1º de fevereiro.

Se o último índice de inflação previsto pelo governo for o confirmado no início deste próximo ano, as aposentadorias, pensões por morte e auxílios acima do salário mínimo serão pagas com uma correção de 4,20%.

A data exata em que o valor cai na conta dos segurados depende do número final do cartão de benefício.

O índice final de reajuste do mínimo segue indefinido por duas razões. A primeira é que o presidente Michel Temer não publicou o decreto com os novos valores -ele ainda pode fazê-lo nesta segunda-feira.

Apesar de não ser obrigatório definir esse valor antes da virada do ano, tradicionalmente a publicação saía nos últimos dias. Em 2017, a assinatura foi em 29 de dezembro.

O outro motivo está ligado ao índice de inflação, que, por tratar do período acumulado de janeiro a dezembro de 2018, ainda não está fechado.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgará o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) no dia 11 de janeiro de 2019.

Depósitos são retomados na quarta Nesta semana, a partir de quarta-feira, 2 de janeiro, o INSS retoma os depósitos da última folha de pagamentos de 2018, referente ao mês de dezembro.

Depois da pausa para Ano-novo, os depósitos serão feitos a quem recebe o piso e tem cartão final 6, e para os benefícios maiores que o salário mínimo, de quem tem cartão final 1 e 6.

O dinheiro cairá na conta dos segurados até o dia 8 de janeiro, conforme o calendário oficial do instituto.

Esses valores ainda são pagos sem reajuste, pois ainda tratam da folha de aposentadorias e pensões referentes ao mês de dezembro deste ano.

Palmeiras e Puma exibem imagens dos novos uniformes do clube para 2019

Palmeiras e Puma esperaram até o último dia de 2018 para que, juntos, saciassem a curiosidade do torcedor alviverde. Na noite desta segunda-feira (31), clube e fabricante exibiram imagens dos novos uniformes palmeirenses para a temporada 2019.

A fabricante alemã substitui a Adidas, que foi parceira do clube entre 2006 e 2018. Com contrato até 2021, a Puma promete colocar o Palmeiras entre suas marcas globais; além disso, por contrato, a empresa não poderá ter contrato com outra equipe brasileira enquanto vestir o atual campeão brasileiro.

(Crédito: Reprodução)

No vídeo apresentado nas redes sociais, é possível ver em detalhes as camisas titular, reserva e de goleiros, além de agasalhos. O uniforme titular verde tem gola redonda branca e o símbolo da fabricante no peito e nos ombros. A manga conta com uma barra branca, trazendo um pequeno detalhe com as cores da bandeira da Itália.

(Crédito: Reprodução)

O uniforme branco, por sua vez, traz uma gola V branca, e uma faixa verde em cada braço, trazendo dentro a marca da Puma. Já as camisas de goleiro vêm nas versões azul e vermelha, com tons mais escuros nas mangas e nos ombros, gola V branca e detalhes brancos.

(Crédito: Divulgação)

Os novos uniformes trazem ainda uma estrela vermelha sobre o distintivo do clube. O detalhe já apareceu nos fardamentos de 2017 e 2018, como referência à conquista da Copa Rio de 1951.

(Crédito: Reprodução)

O novo uniforme palmeirense teve uma operação sigilosa até seu lançamento para evitar vazamentos das imagens nas redes sociais antes da divulgação – o que não impediu que parte da coleção aparecesse previamente em sites especializados. A nova coleção deve chegar às lojas a partir desta terça-feira (1), mas clube e fabricante ainda não divulgaram preços. O lançamento oficial acontece na quinta-feira (3).

(Crédito: Reprodução)

Na campanha, um vídeo apresentado pelo rapper Rincon Sapiência trata o verde como “a cor da inveja”, em tom de resposta a críticas de rivais. “Eles (…) gritam que nossos títulos não contam, mesmo sabendo que tudo aquilo que sentiram, a cada taça que perderam pra gente, foi verdadeiro”, diz o texto do vídeo. “Entre todas as cores deste mundo, verde é a única que eles não suportam. Não vestem, não usam, não aceitam. E isso, meu amigo, é fácil de explicar”, acrescenta.

Embedded video

SP e RJ dominam Mega da Virada; cada aposta vai levar R$ 5,8 milhões…

A Caixa Econômica Federal divulgou que 52 apostas acertaram os seis números e dividem o prêmio da Mega da Virada. Cada uma fica com R$ 5.818.007,36. O sorteio, realizado na noite desta segunda-feira (31), paga ao todo um dos maiores prêmios de uma loteria já registrado na história do Brasil: R$ 302.536.382,66.

Os números sorteados no concurso número 2.110 foram: 05 – 10 – 12 – 18 – 25 – 33.

Além das 52 apostas vencedoras, outras 7.688 acertaram a quina (cinco números), faturando R$ 6.644,73 cada um. Nas quadras, foram 303.857 vencedores com prêmio de R$ 240,17 para cada bilhete.

No prêmio principal, foram confirmadas apostas vencedoras em 17 estados, além de três feitas por meio do Canal Eletrônico. Dez apostadores fizeram as escolhas certeiras em São Paulo. Oito ganhadores apostaram no estado do Rio de Janeiro. Bahia teve sete premiados. Seis são de Minas Gerais e três de Mato Grosso do Sul. Goiás, Pará, Paraná e Maranhão tiveram dois. Acre, Ceará, Distrito Federal, Paraíba, Santa Catarina, Pernambuco e Amazonas tiveram um prêmio cada um.

Entre as cidades, a maior parte dos vencedores vêm do Rio de Janeiro, com quatro apostas. Euclides da Cunha, na Bahia, e São Paulo capital tiveram três bilhetes premiados cada uma. Outras duas são de Belo Horizonte.

Ainda foram premiadas uma aposta em cada uma dessas cidades: Rio Branco, Manaus, Feira de Santana (BA), Mata de São João (BA), Salvador (BA), Valença (BA), Várzea Alegre (CE), Brasília (DF), Bela Vista de Goiás (GO), Jataí (GO), Pedreiras (MA), São Luís, Alfenas (MG), Divinópolis (MG), Martinho Campos (MG), São Sebastião do Paraíso (MG), Corumbá (MS), Costa Rica (MS), Coxim (MS), Almeirim (PA), Itaituba (PA), João Pessoa (PB), Lagoa do Itaenga (PE), Campo Mourão (PR), Curitiba (PR), Angra dos Reis (RJ), Barra do Piraí (RJ), Nova Iguaçu (RJ), Santo Antônio de Pádua (RJ), Blumenau (SC), Adamantina (SP), Guarujá (SP), Pedreira (SP), Praia Grande (SP), Ribeirão Preto (SP), São Bernardo do Campo (SP), Votorantim (SP).

A estimativa do próximo sorteio da Caixa, a ser realizado no dia 2 de janeiro, é de R$ 2 milhões.

Relembre todos os prêmios da “Mega da Virada” até hoje:

1.140, em 2009; duas apostas vencedoras – premiação total: R$ 144.901.494,92

1.245, em 2010; quatro apostas vencedoras – premiação total: R$ 194.395.200,04

1.350, em 2011; cinco apostas vencedoras – premiação total: R$ 177.617.487,60

1.455, em 2012; três apostas vencedoras – premiação total: R$ 244.784.099,16

1.560, em 2013; quatro apostas vencedoras – premiação total: R$ 224.677.860,08

1.665, em 2014; quatro apostas vencedoras – premiação total: R$ 263.295.552,64

1.775, em 2015; seis apostas vencedoras – premiação total: R$ 246.533.514,30

1.890, em 2016; seis apostas vencedoras – premiação total: R$ 220.948.549,32

2.000 em 2017; dezessete apostas vencedoras – premiação total: R$ 306.718.743,71

Gostaria de fazer parte da nossa rede de amigos? Basta Clicar aqui!Sim, Eu Quero!