Enio Manoel

Mulher é presa após tentar incendiar a casa da mãe em Francisco Alves

Uma mulher de 27 anos foi presa pela Polícia Militar após tentar incendiar a residência da mãe, em Francisco Alves, na tarde desta quarta-feira (9).

Ela foi flagrada com uma garrafa pet que armazenava dois litros de etanol e também portava um isqueiro.

Denúncias anônimas levaram a polícia à avenida João Cortez, no centro. Segundo a moradora, de 69 anos, a filha estava descontrolada, exigia R$ 5 mil e além de ameaçar queimar o imóvel disse que a mataria caso não fosse atendida.

Os policiais militares relataram que a mulher reagiu à abordagem com socos e chutes, prometendo cumprir a ameaça tão logo saia da cadeia. A filha, de dez anos, também foi ameaçada.

Ela foi encaminhada para a delegacia de Iporã e autuada por ameaça e desacato.

(colaboração: Portal do Viola)

Padre Quevedo morre aos 88 anos em Minas Gerais

Padre Quevedo, jesuíta espanhol radicado no Brasil, morreu nesta madrugada (9) aos 88 anos, em Belo Horizonte (MG), por problemas cardíacos. A informação foi confirmada ao UOL nesta quarta-feira (9) pela Companhia de Jesus do Brasil, em Minas Gerais.

Quevedo estava na casa de repouso dos jesuítas, na capital mineira, quando foi encontrado sem vida. O enterro será na quinta-feira no Cemitério Bosque da Esperança a partir das 11h. De acordo com a organização, as cerimônias serão reservadas para familiares, amigos e religiosos.

Oscar González Quevedo nasceu na Espanha e era filho de um deputado tradicionalista de Madri. Após a prisão e fuzilamento de seu pai, Quevedo precisou fugir com a família por conta da perseguição política, o que os levou à península de Gibraltar.

Mais tarde, veio morar no Brasil para continuar seus estudos e escolheu a cidade de São Paulo por conta da Faculdade Anchieta, ligada a uma comunidade jesuíta. No país, ele atuou como professor universitário de parapsicologia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL) e no Centro Latino-Americano de Parapsicologia (CLAP), onde também foi diretor. Em 2012, padre Quevedo foi para a casa de repouso dos jesuítas, em Belo Horizonte.

Referência na área, o religioso se dedicou a várias obras literárias sobre parapsicologia — entre as suas obras mais importantes, estão “O que é parapsicologia”, “A Face Oculta da Mente” e “As Forças Físicas da Mente”.

Famosos por seu bordão “isso non ecziste “, Quevedo se tornou conhecido por rechaçar pessoas que se declaravam paranormais e se dedicou a ações que tinham como objetivos desmascarar falsos curandeiros e médiuns, além de explicar fenômenos que eram considerados sobrenaturais.

Por isso, acabou ganhando fama e foi parar em programas de televisão como “Fantástico”, onde apresentou um quadro chamado “Padre Quevedo, Caçador de Enigmas”, que tinha justamente o intuito de desmarcara charlatões e desvendar histórias até então inexplicáveis. A atração era apresentada por Cid Moreira, que anunciava: “esse é um caso para o Padre Quevedo”.

Teve passagens também por programas como “Programa do Ratinho”, “Superpop” e “Domingo Legal”.

Governo terá conselho para analisar demarcações de terras indígenas

O governo iniciou a revisão da política de demarcações de terras indígenas. A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, se reuniu com os ministros Augusto Heleno (Segurança Insitucional), Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Eles trataram sobre a criação – por meio de decreto presidencial – de conselho interministerial que vai analisar demarcação fundiária em caso de terra indígena por meio de decreto presidencial.

A reunião foi ontem (8) à tarde. De acordo com a Fundação Nacional do Índio, atualmente existem 462 terras indígenas regularizadas em todo o país.

Essas áreas totalizam mais de 1 milhão de quilômetros quadrados (maior que a área do estado de Mato Grosso) e equivalem a de 12,2% do território nacional. Pouco mais de 50% das áreas estão localizadas na Amazônia Legal (54%).

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) defende que o governo adote novos critérios para a demarcação de terras indígenas. Há relatos de que as atuais normas geram insegurança jurídica por causa do marco temporal de reconhecimento de terras como remanescentes de indígenas e das condicionantes estabelecidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em 2009, no julgamento da demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol, ao noroeste de Roraima.

Conforme o Artigo 21º da Medida Provisória 870/2019, de 1º de janeiro, sobre a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos ministérios, compete ao Mapa “reforma agrária, regularização fundiária de áreas rurais, Amazônia Legal, terras indígenas e quilombolas”.

Para o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), ligado à Igreja Católica, o ideal é manter a demarcação de terras indígenas da Funai, sem transferência da atribuição para o Ministério da Agricultura, preservando o Artigo 6º da Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), subscrito pelo Brasil.

Vídeo mostra caminhoneiro fugindo de abordagem da PRF na rodovia

Um caminhoneiro foi preso ao bloquear a passagem de uma viatura da PRF (Polícia Rodoviária Federal) na BR-116 em Campina Grande do Sul, na tarde de terça-feira (8). Segundo a PRF, durante patrulhamento na rodovia, vários condutores que seguiam no sentido contrário sinalizavam para a equipe e apontavam para um caminhão que transitava em ziguezague na BR-116.

Os policiais federais começaram o acompanhamento tático do veículo e o condutor começou a realizar manobras perigosas na rodovia. Ao tentar a abordagem, o caminhoneiro não permitia a passagem da viatura. Para forçar a parada, os policiais atiraram contra os pneus, mas mesmo assim o condutor continuou.

Uma barreira foi montada na pista, com apoio da Polícia Militar, e o caminhoneiro tentou realizar a conversão, mas acabou parando no canteiro central. O veículo estava com cinco pneus estourados e alguns deles chegaram a se desmanchar.

A fuga do caminhoneiro durou cerca de 63 quilômetros. Os policiais militares e federais conseguiram deter o homem, de 23 anos. Segundo a PRF, ele estava sob efeito de cocaína e no caminhão nada de ilícito foi encontrado.

O nome do condutor não foi divulgado.

(Informações: CATVE)

15ª Companhia de Infantaria Motorizada de Guaíra tem novo comandante

Após dois anos à frente do comando da 15ª Cia Inf Mtz de Guaíra, o Major Anderson Xavier Neves se despediu de seus comandados, durante a solenidade de passagem de comando realizada na tarde desta terça-feira(08), nas dependências do Quartel do Exército Brasileiro em Guaíra.

O evento contou com a presença de diversas autoridades civis e militares, entre elas a do Comandante da 15ª Brigada de Infantaria Motorizada de Cascavel, General Roberth Alexandre Eickhoff, que oficializou a troca de comando.

O Tenente Coronel Hércules Antônio Marques da Costa assumiu o comando da Companhia e logo após participou da formatura dos militares, acompanhado das autoridades e o público presente. O novo comandante reiterou o compromisso de manter a segurança da fronteira com a continuidade de ações do exército, como: Fronteira Sul e Operação Agatha. (Hércules)

O General de Brigada Roberth Eickhoff destacou a importância da renovação de comando, enalteceu o trabalho do Major Anderson e desejou sorte ao novo comandante. ( Roberth 1)

Sobre possíveis mudanças com o novo governo, o General foi enfático em afirmar que nada irá mudar nas Forças Armadas, que continuará cumprindo o seu papel constitucional. (Roberth 2)

O Major Anderson Xavier Neves deixa a 15ª Cia Inf Mtz de Guaíra, para realizar um curso de comando durante 2 anos, na Escola de Comando e Estado Maior do Exército, com sede no Estado do Rio de Janeiro.

Hércules

Roberth 1

Roberth 2

Trump reitera que manterá governo fechado até muro ser aprovado

Notícias ao Minuto Brasil

Em aguardado pronunciamento à nação na noite desta terça (8), o presidente Donald Trump deixou claro que não moveu um centímetro sua posição de manter o governo federal paralisado enquanto os democratas não aprovarem medidas que contemplem dinheiro para financiar o muro que ele quer construir na fronteira com o México.

Em fala de cerca de oito minutos no Salão Oval da Casa Branca, Trump afirmou que o governo “permanece fechado por uma e única razão: os democratas não vão financiar a segurança na fronteira”.

“A situação poderia ser resolvida em um encontro de 45 minutos. Eu convidei lideranças do Congresso à Casa Branca amanhã [quarta] para resolver isso”, afirmou.

Os democratas responderam imediatamente após o pronunciamento. A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, afirmou que o presidente não deveria manter a população americana “refém” e  que “deveria parar de fabricar uma crise e deveria reabrir o governo.”

Já o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, lembrou que há medidas bipartidárias aprovadas e que podem reabrir o governo, enquanto as negociações sobre a fronteira continuam. “Não há desculpa para ferir milhões de americanos por causa de diferença política”, disse. “Nós não governamos sob birra.”

Durante o pronunciamento, o presidente aproveitou para tentar responsabilizar os democratas pela paralisação parcial do governo, que entra em seu 19º dia. Ele acusou, por exemplo, os adversários de terem mudado de posição sobre o tema.

“[O líder da minoria democrata no Senado] Chuck Schumer repetidamente apoiou uma barreira física no passado, junto com outros democratas”, disse. Os democratas só mudaram de ideia depois que eu fui eleito.”

Segundo o republicano, o muro, agora, será de aço, em vez de concreto, “a pedido dos democratas”.

Trump também apelou para o sentimentalismo, afirmando que o país enfrenta uma crise “humanitária, do coração e da alma”. Ele citou dados para respaldar sua alegação de que há uma crise migratória no país que compromete a segurança da população americana, citando uma série de crimes cometidos, segundo ele, por estrangeiros.

O primeiro caso citado foi o do policial Ronil Singh, morto na Califórnia ao parar um carro em que estava um imigrante ilegal. “O coração dos Estados Unidos foi partido um dia depois do Natal, depois que um policial foi morto por um estrangeiro que não tinha direito de estar no nosso país.”

Trump citou outros casos semelhantes e questionou: “quanto sangue americano terá que ser derramado até que o Congresso aprove [dinheiro para o muro]?”.

O presidente voltou a dizer que o muro vai se financiar, seja pela redução do custo de combate ao tráfico de drogas ou indiretamente pelo acordo comercial fechado com México e Canadá e que substituirá o Nafta.

Ao citar a questão das drogas, o republicano tentou relacionar a crise de opioides vivida pelos EUA à atuação de traficantes que seriam imigrantes ilegais. “Mais americanos morrerão pelas drogas neste ano nos EUA do que durante toda a Guerra do Vietnã”, afirmou.

A CNN ressalta, porém, que o presidente quis associar o total de mortes por overdose de drogas à provocada pelo entorpecente que entra ilegalmente pela fronteira, o que seria enganoso. Muitas delas, por exemplo, são causadas por remédios controlados e vendidos sob prescrição médica.

Já o The New York Times lembra que, embora a maior parte da heroína traficada para os EUA entre pela fronteira sul, opioides como o fentanil são enviados por pacotes diretamente da China e chegam por portos de entrada legais.

Havia dúvidas sobre o que o presidente falaria na noite desta terça. Alguns analistas esperavam que ele declarasse emergência nacional, possibilidade não concretizada no pronunciamento.

A paralisação mantém 800 mil funcionários de licença não remunerada ou trabalhando sem receber pagamentos. Parques nacionais estão fechados, pedidos de hipoteca para comprar a casa própria, atrasados e mesmo empresas com ações em Bolsa não conseguem aprovação para levantar capital.

Na última quinta (3), no primeiro dia do controle democrata da Câmara dos Deputados, os congressistas aprovaram duas medidas que buscavam reabrir o governo.

Foram aprovadas duas medidas separadas. Uma incluía dinheiro para financiar temporariamente o Departamento de Segurança Doméstica nos níveis atuais até 8 de fevereiro, dando tempo para que democratas e republicanos continuem as negociações sobre o financiamento ao muro.

Outra proposta financiaria os departamentos de Agricultura, Interior e outros até 30 de setembro, quando termina o atual ano fiscal.

Mas, sem o dinheiro para o muro, o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, se recusou a colocar as propostas para votação.

Até agora, o governo americano já sofreu 21 paralisações desde que o Congresso introduziu a lei de controle que determina o processo orçamentário no país.

A paralisação parcial já é a segunda maior registrada pelo governo americano, superando a paralisação de 17 dias completos em setembro de 1978, da Presidência de Jimmy Carter.

Só está atrás do apagão de dezembro de 1995, do democrata Bill Clinton, iniciado após o presidente vetar a lei de gastos proposta pelo Congresso, dominado por republicanos. Depois de três semanas, os dois lados concordaram em passar um plano orçamentário de sete anos que incluía cortes moderados de gastos e aumentos de impostos. Com informações da Folhapress.

Arrascaeta no Fla é a maior compra da história do futebol brasileiro

 Notícias ao Minuto Brasil   O uruguaio De Arrascaeta vai vestir a camisa do Flamengo na temporada de 2019 depois de uma negociação histórica. Após longas reuniões em Montevidéu, nesta terça-feira (8), o clube rubro-negro se acertou com o cruzeiro, concretizando a transferência do meia para o Ninho do Urubu.

O valor negociado foi de 15 milhões de euros (R$ 63,7 milhões), o maior da história do futebol brasileiro.

Arrascaeta assinará com o Flamengo um contrato até 2022. Até então, a compra mais cara efetivada por uma equipe brasileira havia acontecido com o atacante Tévez. Para contratar o jogador em 2005, o Corinthians pagou cerca de R$ 60 milhões.

O Cruzeiro receberá 8,5 milhões de euros pelos 25% que tem sobre o jogador. A outra parcela, que pertence ao Supermercados BH, foi negociada por 4 milhões de euros.

Os outros 2,5 milhões ficarão com o Defensor, ex-clube do atleta, e com agentes do jogador, que possuem 25%. André Cury, empresário que representou o Cruzeiro na negociação, ficará com 10% do montante.

GABIGOL JÁ VESTE A CAMISA

Gabigol vestiu a camisa do Flamengo e apareceu pela primeira vez, nesta terça, como novo reforço do clube rubro-negro em vídeo vazado na internet. O clube carioca afirmou que não tem nenhuma relação com o vídeo e que aguarda que o atacante realize exames nesta quarta-feira (9) antes de anunciá-lo.

“Fala, pessoal, aqui é o Gabriel. Já estou com o manto. Faço parte da nação. Estamos juntos”, disse Gabigol.

Mais cedo nesta terça, ele obteve a liberação da Inter de Milão para atuar por empréstimo de um ano no time carioca.

Na negociação, ficou acordado que o Flamengo arcará com os salários do atacante, que por outro lado aceitou estender seu contrato com a Inter de Milão por mais um ano (até 2021).

Pesou para a decisão o fato de Gabigol demonstrar muito interesse em defender o Flamengo em 2019. Ele estava fora dos planos da Inter de Milão, mas os italianos, a princípio, preferiam que o jogador continuasse na Europa. Com informalções da Folhapress.

 

Com festa e samba, Ronaldinho põe pés na calçada da fama do Maracanã

Foi ao lado de ritmistas da escola de samba Renascer de Jacarepaguá e muita festa que Ronaldinho Gaúcho eternizou seus pés na calçada da fama do Maracanã.

A cerimônia, que contou com a presença do governador Wilson Witzel, foi concorrida e atraiu muitos turistas.

Governador do Rio, Wilson Witzel recebe Ronaldinho no Maracanã

Pontual, R10 chegou ao Maracanã minutos antes das 13h30, horário combinado para que a imprensa tivesse acesso ao espaço.

Ainda que não tenha ganho títulos no principal estádio brasileiro, o ídolo falou de sua satisfação.

Momento único da minha história no futebol. Maracanã é Maracanã, é o maior de todos. Sou muito realizado e essa é uma das razões pelas quais parei de jogar. Mas sinto saudade dos treinos, jogos e resenha”, disse Ronaldinho após emoldurar seus pés.

A homenagem chegou com oito anos de atraso, já que a promessa de fazer o molde do gaúcho veio em 2011. Apesar disso, ele nunca havia deixado a sua marca no estádio.

Com isso, ele se junta a craques do calibre se Pelé, Garrincha e Zico.

Chuva dos últimos dias ainda não foi suficiente para normalizar déficit hídrico

Voltou a chover em áreas de produção de grãos do Paraná no fim de semana, mas o déficit hídrico ainda ameaça o potencial produtivo das lavouras e atrasa o plantio de segunda safra, segundo reportou o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Agricultura.

“As chuvas beneficiam o desenvolvimento das lavouras em geral, mas, infelizmente, o período de estiagem e as altas temperaturas nos meses de novembro e dezembro diminuíram o potencial produtivo principalmente das culturas de verão. O porcentual de perdas está sendo levantado”, informa o escritório regional de Apucarana.

No município, a soja encontra-se em floração e frutificação e o milho em frutificação.

Na região de Cascavel, onde a chuva no sábado e no domingo foi isolada – atingiu apenas seis dos 28 municípios que compreendem o núcleo regional – a falta de umidade retarda o plantio do milho segunda safra.

“A cultura do feijão já está com 75% da área colhida, com produtividade de 2.200 quilos por hectare. No milho primeira safra, o comprometimento é bem menor com relação a cultura da soja”, diz a regional, sem dar mais detalhes.

Em Umuarama, de acordo com a regional, o município de Tuneiras do Oeste, onde se produz soja, foi o único a registrar volume de chuva significativo. “Nos outros municípios em que temos produção da oleaginosa as chuvas foram muito fracas, com média de 5 milímetros. A esperança dos produtores era de que uma chuva generalizada pudesse interromper as perdas nas lavouras mais novas”.

Para os próximos dias, a meteorologia, conforme o relatório do Deral, aponta chance de chuva fraca.

Petrobras reduz preço da gasolina em 1,38% nas refinarias

A Petrobras anunciou hoje (8) uma redução de 1,38% no preço da gasolina vendida em suas refinarias. O litro do combustível passará a ser comercializado a R$ 1,4337 a partir de amanhã (9), dois centavos a menos do que o preço praticado hoje (R$ 1,4537).

Essa é a terceira queda consecutiva do preço do combustível, que começou o ano sendo vendido a R$ 1,5087 por litro. Desde o dia 1º, a gasolina acumula queda de 4,97% no preço nas refinarias da estatal.

O preço do diesel foi mantido em R$ 1,8545, o mesmo valor desde 1º de janeiro.

Gostaria de fazer parte da nossa rede de amigos? Basta Clicar aqui!Sim, Eu Quero!