Tragédia em Brumadinho: número de mortos sobe para 169

Confusão com torcida do lado de fora do Maracanã deixa 29 feridos
18 de fevereiro de 2019
Guerra nuclear: As novas armas que aumentam as chances de um conflito global
18 de fevereiro de 2019
Exibir tudo

Tragédia em Brumadinho: número de mortos sobe para 169

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais atualizou para 169 o número de mortes em decorrência do rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho. Durante a manhã, a corporação informou que dois corpos foram retirados da lama de rejeitos nos últimos dois dias. Fragmentos de corpos também foram localizados pelas equipes.

Corpos retirados foram identificados

De acordo com boletim da Defesa Civil do estado divulgado neste domingo (17), todos os óbitos já foram identificados. A tragédia na mina Córrego do Feijão, nos arredores da capital Belo Horizonte, deixou ainda 141 pessoas desaparecidas – entre funcionários da mineradora, terceirizados que prestavam serviços à Vale e membros da comunidade.

Corpo de curitibana é identificado

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais localizou na madrugada deste domingo (17) o corpo da curitibana Fernanda Damian de Almeida, de 30 anos, que morava na Austrália e estava em férias com o namorado no local em que houve o rompimento. A família recebeu a informação por volta das 10h deste domingo, (17).

De acordo com um amigo da família, o corpo de Fernanda será cremado em Minas Gerais na próxima quarta-feira, (20), e as cinzas serão trazidas para Curitiba. Ainda de acordo com ele, os pais da vítima estão mais aliviados porque, agora, pelo menos poderão fazer o velório da filha.

Rastro de morte e destruição

As buscas seguem na cidade desde o rompimento da barragem da mineradora Vale, no dia 25 de janeiro. Os rejeitos invadiram áreas da Mina do Córrego do Feijão, onde a estrutura estava, e das proximidades, deixando um rastro de mortes e destruição.

Desde o início das buscas, foram localizadas 393 pessoas, das quais 224 da “lista da Vale” e 169 da comunidade. Não há mais hospitalizados, segundo o balanço atualizado pela Defesa Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: