300 pessoas trabalhavam perto de barragem da Vale

Brumadinho: bombeiros resgatam 100 pessoas e 200 estão desaparecidas
25 de janeiro de 2019
Lobão sugere envolvimento de Wyllys em atentado a Bolsonaro
25 de janeiro de 2019
Exibir tudo

300 pessoas trabalhavam perto de barragem da Vale

Opresidente da Vale, Fábio Schvartsman, disse em coletiva de imprensa que 300 funcionários trabalhavam na mina do Feijão no momento do desabamento da barragem em Brumadinho. “Não sabemos quantos foram afetados porque houve um soterramento pelo produto vazado da barragem”, afirmou. (ANSA)

Schvarstman também disse que a mineradora ainda não conhece as causas da tragédia nem sua dimensão exata.

O presidente da mineradora indicou que a tragédia de Brumadinho deve ter mais mortos que a de Mariana, que fez 19 vítimas. “A parte ambiental deve ser muito menor, e a tragédia humana, terrível”, disse.

A barragem estava desativada desde 2015 e continha sobretudo silica separada do minério de ferro na exploração.

Segundo o executivo, o potencial de contaminação é muito menor do que o dos rejeitos que vazaram em Mariana.    Schvartsman diz que a auditoria alemã Tüv Süd atestou em 26 de setembro de 2018 “a perfeita estabilidade da barragem”. Ele assumiu o cargo em 2017, sob o lema “Mariana nunca mais”. (ANSA)

Barragem se rompe e casas são atingidas em Brumadinho; veja vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: