Corpo é encontrado enterrado de cabeça para baixo no interior do Paraná (video).

RIC MAIS PR

Uma denúncia anônima levou policiais civis a encontrar um corpo enterrado de cabeça para baixona zona rural de Mandaguaçu, no Norte do Paraná.

Crime macabro no Paraná

ossada estava parcialmente enterrada, apenas com as pernas para fora, à beira de um riacho. De acordo a Polícia Civil, a vítima pode estar envolvida em assaltos a residências nas cidades de Maringá, Sarandi, Jussara e Doutor Camargo.

Ainda segundo a polícia, a vítima seria um foragido da cadeia de Cianorte, no oeste do Paraná, integrante de uma organização criminosa que agia na região.

A morte teria sido motivado por um desacerto entre membros da própria organização criminosa.

Assista à reportagem completa:

Vítima estava com parte do corpo para fora e seria integrante de um grupo que assaltava casas na região.

Suspeito de abusos sexuais, João de Deus passa 1ª noite na prisão em GO

 

  • Giuliana Saringer, do R7*

João de Deus foi acusado de abuso sexual

Walterson Rosa/Folhapress – 12.12.2018

médium João de Deuspassou a primeira noite na cadeia na região metropolitana de Goiânia (GO), de domingo (16) para segunda-feira (17). Suspeito de abusos sexuais durante os atendimentos, João de Deus se entregou para a polícia ontem à tarde, mais de 24 horas após ter sua prisão decretada pela Justiça do Estado.

João de Deus está em uma cela individual e isolado dos demais detentos, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, denominado Núcleo de Custódia.

O tratamento especial foi negociado entre as autoridades e os advogados do médium, que usaram a idade e o estado de saúde de João de Deus como argumentos — o suspeito já passou por um câncer de estômago.

Paralelamente, os advogados Alberto Toron e Ronivan Peixoto Morais Júnior preparam para esta segunda-feira (17) um pedido de habeas corpus, na tentativa de que João de Deus possa cumprir prisão em casa.

Segundo a Polícia Civil, o médium se entregou em uma estrada vicinal, na BR-060, em Abadiânia (GO). João de Deus chegou no Deic (Delegacia de Investigação Criminal), em Goiânia, por volta das 18h de domingo (16).

A força-tarefa do MP-GO (Ministério Público de Goiás), que atua nas investigações do caso, garante que a prisão de João de Deus não vai interromper o trabalho dos promotores. O órgão afirma que vai continuar ouvindo as vítimas para produzir as denúncias a serem oferecidas contra o médium.

O pedido de prisão preventiva foi feito pelo Ministério Público, que já recebeu mais de 300 denúncias de mulheres que teriam sido sexualmente abusadas pelo médium. O processo corre em segredo de Justiça.

Assista abaixo à reportagem do Jornal da Record:

Entendimento da Justiça

O delegado-geral da Polícia Civil de Goiás afirma que João de Deus usava a fépara cometer os abusos contra as vítimas. O médium prestou depoimento por mais de 4 horas e não admitiu o crime. Segundo as autoridades, o médium será intimado novamente e a expectativa é de que mais mulheres tomem coragem de realizar denúncias contra o médium já que ele está em prisão preventiva.

Filha de João de Deus relata abusos que teria sofrido do médium

Por fim, o delegado André Fernandes disse ainda que o líder espiritual estava em “perfeito juízo” durante os questionamentos e que não teve nenhum problema de saúde. “Ele lembra das pessoas, explica o que aconteceu, como foi, ele estava em perfeito juízo”, afirmou.

promotora Maria Gabriela Manssur, responsável pela força-tarefa de São Paulo para ouvir as vítimas do médium, falou com o R7 após a prisão.

“Considero importantíssima [a prisão], uma resposta da Justiça para a sociedade”, diz. “Comprova que ele poderá oferecer risco à ordem pública e também intimidação às vítimas e testemunhas que estão procurando todos os ministérios públicos para fazer as denúncias, muitas delas com muito medo, intimidadas”, completa.

Ainda de acordo com a promotora a prisão serve para mostrar a gravidade das denúncias.“É uma resposta importante para mostrar que, de fato, são graves e estão sendo apurados com a maior garantia das vítimas possível.”

Entenda o caso

João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, está sendo acusado por diversas mulheres de abuso sexual durante os atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, interior de Goiás.

Após as primeiras denúncias contra o médium, o MP-Go (Ministério Público de Goiás) abriu uma força-tarefa, que conta com quatro promotores, seis delegados e duas psicólogas para atenderem o caso.

Na noite de quarta (12), a Promotoria de Justiça de Goiás solicitou a prisão preventiva do médium, cinco dias depois de as primeiras denúncias de abusos sexuais começarem a aparecer.

Em sua primeira aparição pública após as denúncias, na manhã de quarta-feira (12), João de Deus ficou cerca de 10 minutos na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, interior de Goiás. O médium e se disse inocente e declarou ainda que estava à disposição da Justiça.

Até a noite desta quinta-feira (13), a força-tarefa do MP-GO atendeu 330 mulheres.

Outro lado

O advogado criminalista Alberto Toron, que representa João de Deus, se posicionou sobre as acusações de abuso sexual contra o médium em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo. Ele afirmou que o médium “nega e recebe com indignação a existência dessas declarações”.

“O que eu quero esclarecer, que me parece importante que se esclareça ao grande público, é que ele tem um trabalho de mais de 40 anos naquela comunidade, atendendo a todos os brasileiros, atendendo gente de fora do país, sem nunca receber esse tipo de acusação”, disse o advogado.

Ainda segundo Toron, João de Deus vai se apresentar à Justiça nos próximos dias para colaborar no que for necessário.

R7 tenta desde a segunda-feira (10) da semana passada ouvir o advogado, mas ainda não obteve resposta. Um novo contato foi realizado nesta quarta-feira (12), após o pedido de prisão. Uma entrevista com o médium também foi solicitada, também sem posicionamento do acusado.

* Com informações da Agência Brasil e da Agência Estado. 

Foragido, João de Deus deve se entregar à polícia neste domingo

Agência Estado

Foragido da Justiça, João de Deus informou às autoridades que deve se entregar neste domingo (16), em Goiás. A data foi fixada há pouco, em negociação com a defesa.

O médium é suspeito de abusar sexualmente de mulheres que buscavam atendimento espiritual na Casa Dom Inácio de Loyola.

A Polícia Civil suspeita que ele esteja fora de Goiás. Nas negociações realizadas neste sábado (15), uma das hipóteses era de que agentes fossem até o local onde ele está para fazer a prisão e o transporte até Goiás.

Em virtude da idade e da natureza do crime de que é acusado, a expectativa é de que ele fique em uma cela individual. A prisão preventiva contra o líder espiritual foi decretada no fim da manhã de sexta-feira (14).

Integrantes do grupo destacado para fazer a investigação e as negociações, no entanto, ainda colocam em dúvida se o acerto será de fato cumprido.

Para eles, a defesa do médium deverá aguardar o resultado do pedido de habeas corpus. Se a medida for concedida antes de ele se apresentar, seria possível evitar um desgaste ainda maior para o médium, que atrai anualmente para a cidade goiana de Abadiânia 120 mil fiéis – 40% deles estrangeiros.

O advogado de defesa de João de Deus, Alberto Zacharias Toron, no entanto, assegurou em entrevista que seu cliente vai se entregar antes da apresentação do habeas corpus. A ação será proposta segunda.

Os relatos de abuso sexual vieram à tona há uma semana, quando o programa Conversa com Bial apresentou depoimentos de mulheres que se sentiram abusadas. Dois dias depois que os primeiros relatos foram divulgados, o Ministério Público e a Polícia Civil de Goiás formaram forças-tarefas para investigar os casos. Já foram coletados mais de 330 depoimentos. Desse total, 30 mulheres formalizaram até o momento as acusações.

Nesta semana, somente na cidade de Abadiânia, onde funciona a Casa Dom Inácio, foram iniciados três inquéritos. Eles se juntam a outros três que já haviam sido abertos antes de os depoimentos contra João de Deus serem divulgados na TV.

João de Deus não é visto publicamente desde quarta, quando visitou a casa Dom Inácio de Loyola e, em pronunciamento rápido, garantiu inocência e disse estar a disposição da Justiça. Depois de a prisão preventiva ser decretada, a Polícia Civil já percorreu mais de 20 endereços em busca do médium. Sua casa em Abadiânia, no entanto, ainda não foi alvo de buscas.

Outro lado

O advogado criminalista Alberto Toron, que representa João de Deus, se posicionou sobre as acusações de abuso sexual contra o médium em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo. Ele afirmou que o médium “nega e recebe com indignação a existência dessas declarações”.

“O que eu quero esclarecer, que me parece importante que se esclareça ao grande público, é que ele tem um trabalho de mais de 40 anos naquela comunidade, atendendo a todos os brasileiros, atendendo gente de fora do país, sem nunca receber esse tipo de acusação”, disse o advogado.

Ainda segundo Toron, João de Deus vai se apresentar à Justiça nos próximos dias para colaborar no que for necessário.

R7 tenta desde segunda-feira (10) ouvir o advogado, mas ainda não obteve resposta. Um novo contato foi realizado nesta quarta-feira (12), após o pedido de prisão. Uma entrevista com o médium também foi solicitada, também sem posicionamento do acusado.

Região: Homem morre esfaqueado em tocaia armada pelo ex-marido de sua mulher

Valmir Vitorino foi morto a facadas na tarde de quarta-feira (12), quando chegava em sua residência no bairro Campina, na zona rural de Cafelândia.

O autor do crime seria o ex-marido de sua esposa.

Conforme as primeiras informações levantadas pelos policiais militares que atenderam a ocorrência, Valmir e sua companheira estavam chegando em casa e o assassino estava dentro da residência, escondido atrás da porta. Quando eles entraram o homem esfaqueou Valmir.

A vítima ainda saiu correndo, para fugir do agressor, mas caiu na estrada rural a poucos metros de sua casa, morrendo no local.

A equipe da Polícia Militar de Cafelândia procura pelo suspeito.

Homem esfaqueia esposa e morre em acidente na PR 574

Um homem de 54 anos morreu depois de bater o carro contra uma árvore na PR 574 na manhã de segunda-feira (10), em Cafelândia.

O acidente envolveu o veículo Fiat Uno onde estava Pedro Teles da Silva. O carro ficou completamente destruído com o impacto. A Polícia Civil investiga as causas do acidente.

De acordo com a Polícia Militar, antes do acidente, Pedro tentou matar a companheira, ele é acusado de esfaquear a esposa com 11 golpes. A mulher corre risco de morte e segue internada no hospital em Cafelândia.

A faca utilizada contra a mulher foi encontrada no lado de fora da casa do casal. O corpo de Pedro Teles da Silva foi recolhido pelo IML de Cascavel. O motivo do esfaqueamento ainda não foi divulgado.

Brasileiro é morto com 15 tiros e jogado no lado paraguaio, afirma polícia

A polícia paraguaia encontrou na madrugada deste domingo (09) a aproximadamente 10 metros da divisa que separa o Brasil do Paraguai, em Pedro Juan Caballero, o corpo de um brasileiro que aparenta ter de 30 a 35 anos de idade, até o momento não identificado, apenas a nacionalidade do homem foi divulgada pela polícia paraguaia.

A vítima foi encontrada através de uma denuncia anônima. O brasileiro foi alvejado por 15 tiros na cabeça e no corpo, segundo declarações da polícia local.

Em conversa com populares da redondeza, eles disseram que uma caminhonete que ingressou do Brasil para o Paraguai deixou o corpo no local e retornou para o Brasil.

Uma identificação divulgada pela polícia paraguaia é que o homem tinha diversas tatuagens espalhadas pelo corpo.

Após discussão e ameaças de morte, sargento da PM mata homem na região

Um sargento da Polícia Militar de Guaira se envolveu na tarde de sábado (08) em uma discussão com um homem e o caso acabou em morte.

Logo após discussão, o policial resolveu ir para sua casa, foi seguido pelo desafeto e ameaçado de morte com uma pistola. O sargento reagiu e atirouem Jakson Del Vechio,que não resistiu e entrou em óbito no local.

Segundo informações do Capitão Souza, o sargento se apresentou imediatamente na polícia, logo após o ocorrido.

Uma equipe do IML de Toledo foi acionada para recolher o corpo.

Criança de quatro anos baleada é transferida de Guaíra para Cascavel

O helicóptero com uma menina de quatro anos que foi baleada na Vila Eletrosul, em Guaíra, pousou no Aeroporto de Cascavel na noite desta quarta-feira (5).

Equipes do Samu encaminharam a criança ao Hospital Universitário.

O pai da menina também foi ferido por disparos no braço e dedo esquerdos e levado ao Hospital Bom Jesus em Toledo.

Segundo informações da equipe da Polícia Militar que esteve na UPA onde as vítimas inicialmente foram encaminhadas, o homem ferido disse que foi abordado por três assaltantes, dois deles armados, que tentaram roubar o veículo dele, uma pick-up Strada.

Os assaltantes, no entanto, não conseguiram funcionar o veículo e fugiram.

O fato ocorreu por volta das 18h30.

A Polícia Civil de Guaíra investiga o caso. Até o momento nenhum suspeito foi detido.

Mulher morre em incêndio ao ficar presa em banheiro de casa

Uma mulher morreu em um incêndio depois de ficar presa no banheiro de casa, em Ortigueira, região dos Campos Gerais do Paraná. Ela estava tomando banho quando o fogo se alastrou, nesta terça-feira (4), de acordo com o Corpo de Bombeiros.

O marido e o filho da vítima estavam em casa no momento do incêndio, mas não se feriram, segundo a corporação.

Eles contaram aos bombeiros que a mulher fazia almoço no fogão à lenha, que fica do lado de fora da residência, e foi tomar banho. Quando perceberam, o fogo já tinha se espalhado. Eles tentaram chamá-la, mas ela não conseguiu sair do banheiro porque havia muita fumaça.

Conforme o Corpo de Bombeiros, uma das hipóteses é de que uma brasa do fogão à lenha tenha caído no chão e provocado o incêndio. A casa ficou completamente destruída.

Mulher é escalpelada por ex-companheiro que não aceitou a separação

O Bemdito4

Um pedreiro de 42 anos foi preso suspeito de escalpelar a ex-esposa de 39 anos, em Apucarana. De acordo com a Polícia Civil, o homem não aceitou a separação e praticou o crime na frente da filha de 15 anos. A prisão aconteceu na segunda-feira (3).

Os dois foram casados por 23 anos e estão em processo de divórcio, segundo informações do delegado José Aparecido Jacovós, chefe da 17ª Subdivisão Policial (SDP). Inconformado com o fim do relacionamento, o homem invadiu a casa da ex-esposa armado com uma faca com a intenção de matá-la.

“Em meados de novembro, a mulher foi surpreendida pelo marido por volta das 3 horas da manhã e começou a ser agredida violentamente. A filha de 15 anos tentou interferir ao ver a mãe levando chutes e socos”, conta Jacovós.

Ainda conforme o delegado, o homem estava prestes a cortar o pescoço da mulher quando a adolescente interferiu e o golpe atingiu a cabeça da vítima, retirando o escalpo (couro cabeludo arrancado do crânio).

“Ela sofreu um grave dano moral e estético, além da violência praticada na frente da filha de 15 anos”, comenta o delegado, acrescentando que o homem está preso em caráter preventivo e vai responder por tentativa de feminicídio.

Já a vítima passará por cirurgia plástica para reconstituir a área atingida.

(TN Online)

Gostaria de fazer parte da nossa rede de amigos? Basta Clicar aqui!Sim, Eu Quero!