Três vítimas do “tribunal do crime” são achadas amarradas e 4 são presos no MS

Denúncia anônima levou policiais do GOI (Grupo de Operações e Investigações) e do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) a resgatarem três vítimas do “tribunal do crime” que eram torturadas e julgadas. O flagrante foi na madrugada desta sexta-feira (27), em um barraco na comunidade Morro do Mandela, na região do Bairro Morada do Sossego, em Campo Grande.

Quatro suspeitos foram presos. Dilson Aparecido Marques dos Santos, 27 anos, Matheus Henrique Pontes de Souza, 22 anos, Clevan Silva dos Santos, 29 anos, e Arthur Moura Gonçalves, 24 anos, tentaram fugir, mas foram capturados. As vítimas de 23, 25 e 26 anos foram torturadas com pauladas no pés. Duas delas – dois irmãos – estavam com as mãos e pés amarrados.

A polícia apreendeu com os suspeitos carregadores de rádio, pistola 9 milímetros, espada de samurai afiada, balança de precisão, quatro munições, maconha, pedaços de paus e seis celulares, além de uma caminhonete Mitsubishi L-200 e uma motocicleta Honda Titan.

O local onde as vítimas eram julgadas é de difícil acesso e para chegar até lá sem chamar atenção, as equipes tiverem que deixar as viaturas no asfalto e seguirem a pé por 3,5 km. Mesmo assim, os suspeitos ainda tentaram fugir para uma área de mata e córrego quando perceberam a presença dos policiais.

Os autores foram presos em flagrante e levados à delegacia (Foto: divulgação)
Os autores foram presos em flagrante e levados à delegacia (Foto: divulgação)
Irmãos com as mãos e o pés amarrados (Foto: divulgação)
Irmãos com as mãos e o pés amarrados (Foto: divulgação)
Caminhonete apreendida como os criminosos (Foto: Saul Schramm)
Caminhonete apreendida como os criminosos (Foto: Saul Schramm)

Questionadas, as vítimas relataram que eram julgadas porque cometeram roubos na região. Os autores são integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital). Todos têm passagens pela polícia. A suspeita é de que todos são da mesma facção.

Segundo a polícia, muitas vezes, o julgamento realizado pelo “disciplina” do grupo não ocorre apenas contra integrantes de facção rival, mas dentro do próprio grupo quando um dos membros “sai da linha”. Os bandidos usavam rádio da polícia para se comunicar. Os equipamentos ainda não foram localizados. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro.

Outro caso – Esse é o segundo caso registrado na Capital em menos de 24 horas. Na noite de ontem (26), Sandra Raquel Lescano Prieto, 25 anos, que seria executada pelo PCC por ser integrantes do CV (Comando Vermelho) facção rival, foi resgatada. O flagrante foi na Rua Poética, no Bairro Portal Caiobá. O namorado dela, Carlos Eduardo da Silva, 29 anos, foi preso com uma pistola 9 milímetros que pertence ao Exército Brasileiro.

Fonte:Campo Grande News

Capturados 6 dos 10 presos que fugiram por túnel em cela de delegacia

Policiais civis e militares já capturaram seis dos dez presos que fugiram da delegacia de Aquidauana, a 135 km de Campo Grande, na madrugada desta segunda-feira (23). Um dos autores já estava em Campo Grande e aguarda transferência em uma cela da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), da Vila Piratininga, na Capital.

Os regastes, conforme O Pantaneiro aconteceram ontem à noite. Marcos de Arruda Santana, 21 anos, e Vinícius R. Rodrigues de Oliveira, 19 anos, foram presos pela PMA (Polícia Militar Ambiental).

Eles estavam na Rua Geovani Toscano de Brito com Rua dos Ferroviários, em Aquidauana. Já Ademir de Souza Arroaba, 27 anos, que foi preso por furto em junho de 2017, já estava em Campo Grande quando foi encontrado por policiais da Capital.

Equipes da Getam e do Tático que estavam de folga foram mobilizadas a fim de auxiliar na força-tarefa para encontrar os criminosos que causaram tumulto nesta segunda.

No final da tarde, a Polícia Militar havia prendido três dos dez presos que fugiram. Walisson Renato Fernandes, de 24 anos, foi encontrado no Bairro São Francisco. Josivaldo Arevalo Avalos, de 25 anos, foi detido a caminho de Miranda e Jefferson Augusto, de 26 anos, foi preso a caminho do distrito de Piraputanga.

Envolvido em latrocínio – Waterson Ozório, preso no último dia 18 de julho, ainda está foragido. Ele foi preso por tráfico de drogas  e também é suspeito de envolvimento no latrocínio – roubo seguido de morte -, do comerciante Ronaldo Batista, em 2017.

No dia da prisão, ele estava com pedras de pasta base de cocaína, porções prontas para a venda e 217 quilos de maconha, no Jardim Campanário, em Anastácio, a 135 km de Campo Grande. O jovem havia sido solto há dois meses, depois que o juiz Luciano Pedro Beladelli entendeu que o rapaz praticou receptação e não participou diretamente da morte.

Seguem foragidos – Alex Bruno Fogaça (preso em 21 de maio por homicídio), Renato Correa (preso em 11 deste mês, por uso de documento falso), Tiago da Silva Rocha (evadido da Gameleira e recapturado no dia 21 deste mês) e Waterson.

Presos pela 2ª vez, Puccinelli e filho chegam ao Centro de Triagem

Presos pela 2ª vez por consequência da Operação Lama Asfáltica, o ex-governador e pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul André Puccinelli (MDB) e o filho dele, André Puccinelli Júnior, acabam de chegar ao Centro de Triagem Anízio Lima, no Complexo Penal de Campo Grande. Na unidade, eles devem ocupar a cela 17, conhecida por abrigar presos “famosos”.

Puccinelli e o filho chegaram transportados por van da PF (Polícia Federal) escoltada por duas viaturas. A garagem da unidade prisional foi aberta para que os dois descessem do veículo. Advogados não apareceram no local (veja o vídeo).

A PF também informou mais cedo que o terceiro preso desta sexta-feira (20), o advogado João Paul Calves, tem direito a cela especial. “Será conduzido à vaga que for disponibilizada pela Justiça Federal”, informou a PF por meio da assessoria de imprensa. O Campo Grande News apurou, contudo, que o mesmo será levado para a sala de Estado Maior no Presídio Militar.

A OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil) de Mato Grosso do Sul enviou logo cedo à Superintendência da PF em Campo Grande a comissão que defende as prerrogativas dos advogados. Apesar disso, Júnior abriu mão dos direitos como credenciado da Ordem para ficar junto com o pai.

Conhecida por receber presos “famosos”, com direito a internação especial, a cela 17 tem vaga para 23 internos, os considerados tranquilos. No local, eles podem receber dos visitantes cobertores, lençóis, itens permitidos aos demais internos.

Novas provas – As prisões do ex-governador, do filho dele e do advogado foram motivadas por provas obtidas com o material coletado na 5ª fase da Operação Lama Asfáltica, a Papiros de Lama, segundo a PF.

Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pela 3ª Vara Federal de Campo Grande após pedido feito pelo MPF (Ministério Público Federal) em maio de 2018.

No processo da 1ª instância da Justiça Federal de Campo Grande que resultou na determinação das prisões de novembro, “foram juntadas novas provas constantes em relatórios elaborados pela Polícia Federal, pela Controladoria Geral da União e pela Receita Federal”.

Ainda segundo a PF, as movimentações bancárias do Instituto Ícone do Direito – que pertence a Puccinelli Júnior e já teve João Paulo Calves e Jodascil Gonçalves Lopes (o terceiro preso da 5ª fase) como sócios – evidenciaram depósito de dinheiro que seriam de propina paga pela JBS

Informações: Campo Grande News

PF prende ex-governador de Mato Grosso do Sul André Puccinelli

O ex-governador de Mato Grosso do Sul André Puccinelli foi preso na manhã de hoje (20) pela Polícia Federal (PF). Também foram presos os advogados André Puccinelli Júnior, filho do ex-governador, e João Paulo Calves. Os mandados de prisão foram expedidos pela 3ª Vara Federal de Campo Grande a pedido do Ministério Público Federal (MPF).

Segundo a PF, o pedido de prisão foi feito com base na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em maio de 2018, relativa à 5ª fase da Operação Lama Asfáltica, deflagrada em 14 de novembro de 2017, a qual havia determinada a prisão preventiva de outros oito réus do mesmo caso.

A 5ª Fase da Operação Lama Asfáltica, chamada de Papiros de Lama, foi deflagada com objetivo de combater uma organização criminosa que desviava recursos públicos. Eles são acusados, entre outros crimes, de fraudar licitações e superfaturar obras, causando um prejuízo ao Erário de mais de R$ 235 milhões.

Os presos fizeram exames de corpo de delito no Instituto Médico-Legal e estão neste momento na sede da Superintendência da PF em Campo Grande, onde aguardam a “disponibilidade das vagas nos presídios correspondentes as suas prerrogativas”, diz a PF.

Puccinelli, o filho e João Calves já haviam sido presos no ano passado, durante  a Operação Papiro de Lama, uma das fases da Lama Asfáltica, mas foram colocados em liberdade por força de um habeas corpus concedido pelo desembargador Paulo Fontes, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), em caráter liminar (decisão provisória).

Casal recusa sair com amigo e ele, enfurecido, atropela os dois

Na noite do último sábado (14) um casal acabou atropelado por um amigo depois de o casal não aceitar o convite dele para sair. O atropelador identificado por Pedro de 56 anos, atropelou primeiro a mulher, fez o retorno e atropelou o homem em seguida.

Segundo informações, o casal saiu de casa no início da tarde e quando retornou Pedro fez o convite para saírem. Com a recusa, o homem os atropelou.

As vítimas foram socorridas pelo SAMU e encaminhadas para um hospital.

A Polícia Militar fez buscas mas ainda não encontrou o homem.

O caso foi registrado em Dourados, MS.

PF encontra mais 60 quilos de cocaína em avião interceptado pela FAB

Com isto, entorpecente encontrado no bimotor soma 560 kg…

A aeronave interceptada pela Força Aérea Brasileira em abril deste ano foi retirada, na última segunda-feira (25), da Lagoa Uberaba, no Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense, próximo a Corumbá (MS).

Segundo informações do site Diário Corumbaense, após a retirada do avião, em seu interior, havia 60 quilos de cocaína. A PF informou que a aeronave será trazida para Corumbá onde passará por perícia.

O bimotor Baron, que transportava drogas trazidas da Bolívia, fez um pouso forçado após ser atingido pelos militares. O piloto desobedeceu as medidas protocolares da FAB, que atirou duas vezes em direção ao avião.

Na ocasião, o piloto não foi encontrado e os policiais federais encontraram aproximadamente 500 kg de pasta base de cocaína.

Fonte: Correio do Estado

Festas, Ferrari e viagens colocaram família de Mundo Novo na mira da PF

Máfia é alvo de Operação Laços de Família, da PF, deflagrada na manhã desta segunda-feira para cumprir 230 mandados.

As lideranças alvo da operação Laços de Família, que “lavava” o dinheiro do tráfico internacional com joias, veículos de luxo, “laranjas”, viagens e empresas de fachadas, em Mundo Novo, a 476 km de Campo Grande, escancaravam a ostentação no Facebook. As práticas do clã ou máfia, como apontado pela PF (Polícia Federal), chamaram a atenção em uma cidade de apenas 18 mil habitantes.

PF frisou que o comportamento da família na pequena cidade estava completamente diferente do modus vivendi da população.

Nos perfis dos familiares, as fotos são de deixar qualquer um de boca aberta e a mansão da família passava quase despercebida se comparada à extensa lista de ostentação. A exposição na internet soma viagens à Paris, Orlando, passeios com helicópteros, chegada luxuosa da filha de Molina a um casamento usando Limousine, além de Ferrari, lanchas e jet-skis.

Com a Ferrari, Jefferson Henrique Piovezan Azevedo Molina, filho de Molina, chegou a invadir um rodeio da cidade para chamar a atenção. Jefferson também dirigia Ferrari na Europa, quando publicou fotos em Paris. O jovem foi assassinado a tiros no ano passado, no Centro de Mundo Novo, aos 25 anos.

Conforme o delegado, a morte do jovem pode estar ligada, com a violência empregada pela família na região, inclusive com uso de tortura. A máfia, como apontada pela PF, não pertencia à facções conhecidas no Brasil, porém, tinha ligações comerciais diretas com o PCC e com o tráfico internacional de drogas.

Só na fase de investigação, o grupo perdeu R$ 61 milhões. Agora, as ordens judiciais incluem sequestro de sete helicópteros, sendo uma das aeronaves usadas para levar Gegê do Mangue e Paca, lideranças da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), para execução.

Conforme a polícia, a estratégia garantia “vida luxuosa e nababesca [requintada] aos patrões do tráfico internacional de drogas, que incutiam o temor e o silêncio na região, pela sua violência e poderio”. Também eram utilizados helicópteros para transportar joias.

 

Laços de Família – A Operação Laços de Família é resultado de investigação que começou em 2015. Nesta segunda-feira (25), equipes da PF foram às ruas de 5 Estado para cumprir 230 mandados de prisão, apreensão e sequestro de bens. Até o fim da manhã, 21 pessoas haviam sido presas, 15 delas em Mato Grosso do Sul – 2 mulheres e 12 homens, sendo 2 presos temporários e 10 homens presos preventivamente.

Ainda segundo a PF, muitos dos alvos de mandados de prisão- preventiva já são presidiários, mais uma evidência da ligação do clã com facções criminosas que agem de dentro dos presídios do país.

Dos 15 pessoas, segundo o delegado Luciano Flores de Lima, superintendente da Polícia Federal de Campo Grande, sete devem ser levadas para a Penitenciária Federal da Capital, “após autorização do juiz responsável em conceder a vaga”, devido ao grau de periculosidade e participação no esquema. O subtenente e outro PM serão transferidos para o Presídio Militar.

Durante o cumprimento dos 35 mandados de busca e apreensão, três pessoas foram presas em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. A PF só não detalhou também se os mesmos já eram alvos de mandados de prisão.

Para a Operação Laços de Família, foram expedidos no total 20 mandados de prisão preventiva, 2 de prisão temporária, 35 de busca e apreensão em residências e empresas, 136 de sequestros de veículos, 7 mandados de sequestro de aeronaves (helicópteros), 5 de sequestros de embarcações de luxo (incluindo o de um iate usado pelo PM considerado o cabeça do esquema e pela família dele para lazer) e 25 mandados de sequestro de imóveis (apartamentos, casas, sítios, imóveis comerciais).

Dez empresas, de fachada ou não e que foram identificadas como pessoas jurídicas que facilitava a lavagem do dinheiro oriundo do tráfico, foram fechadas por ordem da 3ª Vara Federal de Campo Grande.

 

Fonte: Campo Grande News

 

 

PM interrompe tribunal do PCC e prende quatro criminosos em flagrante

Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar prendeu ontem, em Campo Grande, quatro suspeitos de organizar “tribunal do crime” para julgar um jovem de 19 anos em residência no Bairro São Jorge da Lagoa, em Campo Grande (MS). Os autores, João Batista dos Santos, Luis Alberto Ribeiro Pereira,  Lucas Romário dos Santos e Higor Ferdinando de Almeida seriam ligados à facção Primeiro Comando da Capital (PCC), que age dentro e fora dos presídio em todo o país.

Conforme apurado, denúncia anônima informou aos policiais que havia grupo suspeito na residência localizada na Alameda do Café. Quando os policiais chegaram ao local, ouviram indivíduos dizendo que uma pessoa que ela deveria confessar, caso contrário seria morta.  Diante dos fatos, os policiais entraram no local e flagraram os quatro autores e a vítima.

Paranhos: Executado após depoimento poderia ser elo com mandante de atentado contra prefeito

A morte de Jomar Lemes, instantes após sair da delegacia onde prestou depoimento sobre o atentado contra o prefeito de Paranhos, deve interferir na busca pelo mandante do crime contra o chefe do Executivo municipal, segundo o delegado responsável pelo caso, Mikaill Alessandro Gouveia. Um casal suspeito pela autoria do atentado já está preso.

Na semana passada o prefeito Dirceu Bettoni (PSDB) foi vítima de uma tentativa de assassinato ao chegar em casa. Conforme o delegado, a morte de Jomar não atrapalha a investigação atual.

“Ele negou qualquer envolvimento no caso. O caso está solucionado, porque os autores foram presos, mas pode interferir futuramente, pois ele poderia ser o elo para encontrarmos o mandante”, explicou.

As suspeitas são de que Jomar estivesse ligado ao casal Gabriel Queiroz, de 26 anos, e Djuly Priscilla Couto, 28, apontados como autores do crime e presos em operação da Polícia Civil, no último sábado. O crime teria sido encomendado por brasileiro que vive em Salto Del Guairá, no Paraguai, por R$ 20 mil. Jomar pode ter sido morto em queima de arquivo.

Prefeito de Paranhos sofre atentado a tiros ao chegar em casa

O prefeito de Paranhos, Dirceu Bettoni (PSDB) foi atingido por três tiros, durante atentado, na noite desta quinta-feira (14). Dirceu chegava em sua residência quando foi surpreendido pelos pistoleiros.

Os disparos atingiram a cabeça, boca e abdômen do prefeito, mas seu estado de saúde é considerado estável. Ele foi levado ao hospital da cidade, mas será encaminhado para Amambai, de onde será transportado de avião para a Capital.

Ainda não há informação sobre prisões ou detalhes de ação dos criminosos.

Dirceu Bettoni exerce o seu terceiro mandato como prefeito do município que fica a 469 quilômetros da Capital

Gostaria de fazer parte da nossa rede de amigos? Basta Clicar aqui!Sim, Eu Quero!